Alagoas, 16 de outubro de 2021 25º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
INVERSÃO DE VALORES

Secretário é acusado de improbidade por atuar com base na lei e na moralidade

Redação

09/10/2021 14h02

Pedro Vieira
Prefeitura de MaceióPedro Vieira

Vítima de interesses econômicos inconfessáveis, o secretário Pedro Vieira, da Sedet, foi acusado de improbidade por atuar justamente com base na lei e na moralidade no serviço público. Quem conhece o ex-prefeito de Maceió é testemunha da competência, honestidade e retidão moral de Pedro Vieira, seja na atividade pública ou na vida privada.

O episódio envolvendo Vieira foi mais uma campanha para enfraquecer seu trabalho à frente da Sedet, bancada pelo poder econômico e avalizada por alguns políticos sem escrúpulos e sem compromisso com a decência no serviço público. São personagens que sempre agem à margem da lei e da ordem em defesa de seus próprios interesses, quase sempre imorais e ilegais.

Impedir o secretário de atuar como manda a lei e a seriedade no serviço público é uma inversão de valores e uma invasão do sistema judiciário em prol de uma irregularidade. Com o aval de um promotor de Justiça e de um magistrado cometeu-se o absurdo de punir um agente público em benefício de uma ilegalidade.

Tão lamentável quanto a tentativa de intimidar e desgastar a imagem de Pedro Vieira foi a omissão do prefeito no episódio. Até semana passada a campanha contra o secretário continuou através de matérias em jornais e nas redes sociais com ataques à atuação de Vieira. Em nenhum momento JHC se pronunciou sobre o caso nem fez qualquer gesto de solidariedade ao secretário.

O silêncio do prefeito só agrava a questão e abre espaço para atuação de grupos econômicos em defesa de projetos predatórios. Na omissão, JHC se submete às pressões e expõe seu secretário a conclusões apressadas sob o patrocínio dos acusadores.

Este episódio faz lembrar a rápida atuação de JHC no caso do então secretário de Turismo, Ricardinho Santa Rita, demitido horas depois de publicar em sua rede social um comentário infeliz e até infantil sobre a suástica, símbolo religioso adotado como emblema oficial do III Reich e do Partido Nazista alemão. Nem tanto ao mar nem tanto à terra. Equilíbrio é o que se espera dos governantes em todas as esferas do poder público.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade