Alagoas, 24 de outubro de 2020 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Justiça

Suspeita de corrupção empaca processo de falência da Laginha

O caso foi parar no CNJ em ação contra desembargador

Redação

25/09/2020 10h10 - Atualizado em 28/09/2020 11h11

Usina Laginha
DivulgaçãoUsina Laginha

A destituição do administrador judicial da Laginha, José Luiz Lindoso, foi vista por parte dos credores como um tiro no pé. Porém, a administração de Lindoso é cercada de mistérios. A paralisação dos trabalhos da massa falimentar por cerca de 60 dias é um deles. 

O caso foi parar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em ação contra o desembargador Klever Loureiro, que ordenou o afastamento do advogado. A dívida do grupo João Lyra é bilionária e está dominada por um jogo de interesses. 

Ainda há muita riqueza em meio à falência.

Tumulto

O tumultuado processo de falência do Grupo João Lira já dura 8 anos e até agora a maioria dos credores – trabalhadores rurais, operários, fornecedores, plantadores de cana e bancos – não viu a cor do dinheiro. Sem falar na milionária dívida tributária e previdenciária. 

Ao longo desse tempo foram substituídos vários juízes e administradores judiciais sob alegações que vão da omissão à falta de probidade na gestão da bilionária massa falida. 

Corrupção 

De um lado estão os credores, do outro os administradores judiciais e vários advogados, e no meio os herdeiros, que desconfiam da existência de um esquema criminoso para dilapidar o que resta do patrimônio familiar. 

A recente mudança na administração judicial parece ter descoberto a ponta do iceberg desse lamaçal, e pode culminar com a troca de todos os atuais juízes responsáveis por esse rumoroso processo que já acumula mais de 120 mil páginas. 

E mais grave: não é só a família de João Lyra que suspeita de um monumental esquema de corrupção montado em cima da massa falida, mas também membros do próprio Poder Judiciário. Dias agitados virão pela frente.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade