Alagoas, 19 de novembro de 2019 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Caso Martha Moreira

Morte de advogada faz 6 meses e família contesta laudo

Martha Moreira pôs fim à vida com arma pertencente ao marido

Redação

08/11/2019 08h08

Promotor ao lado da esposa, Martha Nascimento
DivulgaçãoPromotor ao lado da esposa, Martha Nascimento

Hoje, 8 de novembro de 2019, faz 6 meses da trágica morte da advogada Martha Moreira, que pôs fim à vida com um tiro na cabeça deflagrado da arma pertencente ao próprio marido, o promotor de Justiça Sidrack Nascimento.

Apesar da investigação policial concluir pela tese do suicídio, o caso permanece em aberto, visto que a família não só contesta o laudo pericial como suspeita da participação material de Sidrack Nascimento na morte da esposa. Para isto vem consultando criminalistas e demais especialistas da área.

Os familiares dela acreditam que o promotor pode ser responsabilizado por omissão ao não agir para evitar o desfecho trágico, ou até mesmo por indução ao suicídio da esposa.

Em última instância, Sidrack Nascimento pode ser denunciado por negar socorro à esposa ao fugir de casa logo após a tragédia, sem ao menos comunicar o fato à família da vítima. Pesa contra ele a condição de promotor de Justiça.

É sabido que a esposa vivia às turras com o marido, com problemas conjugais e emocionais próximos de uma depressão. É aí que a família dela pretende denunciar o promotor com base no artigo 122 do Código Penal.

Alega que a pistola do promotor, usada pela vítima, jamais chegaria às suas mãos não fosse o fácil acesso à arma. “Como pode o marido deixar a arma com balas ao alcance da esposa depressiva?”, indaga um dos parentes da advogada.

Em outra frente, a família de Martha Moreira tenta provar na Justiça que Sidrack Nascimento inventou a história do roubo de um computador do MP para livrar-se do único herdeiro da esposa e manter-se à frente dos negócios do casal.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade