Alagoas, 18 de novembro de 2019 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
O PREÇO DO ESBULHO

Estado terá que devolver imóvel rural invadido

Outra opção é indenizar o posseiro por danos morais

Redação

06/09/2019 11h11 - Atualizado em 16/09/2019 09h09

Polo de Marechal Deodoro
Foto: AssessoriaPolo de Marechal Deodoro

Ao perder a disputa judicial pela posse de uma fazenda vizinha ao polo de Marechal Deodoro, o governo do Estado terá que devolver o imóvel rural invadido na gestão anterior ou indenizar o posseiro pelo esbulho, mais danos morais e lucro cessante. Tudo somado, a conta da irresponsabilidade tucana deve chegar a R$ 100 milhões.

 Criado pela turma de Téo Vilela, o imbróglio caiu no colo do governador Renan Filho como uma bomba. Não só pelo pesado dano imposto ao erário, mas sobretudo pelo risco de inviabilizar o polo cloroalcoolquímico do estado.

 Com a sentença condenatória, as indústrias que ocupam a área em litígio correm o risco de despejo, enquanto novas empresas ficam impedidas de se instalarem no polo de Marechal, pelo menos até o desfecho da disputa. Por isso o governador Renan Filho tem pressa em solucionar o pepino herdado do antecessor.

A lambança tem as digitais não apenas de ex-secretários do Governo Vilela, mas também de membros da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), do setor jurídico da Companhia Alagoana de Recursos Humanos e Patrimoniais (CARPH) e do próprio Poder Judiciário.

Como resultado de toda ilegalidade praticada pelo governo tucano, não restará ao Ministério Público Estadual outra alternativa senão propor ações de improbidade administrativa contra todos os envolvidos nessa aventura

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade