Alagoas, 23 de setembro de 2019 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Embrulho tucano

Renan Filho herda problemão de seus antecessores

Trata-se de indenização milionária em favor de posseiro

Redação

23/08/2019 07h07 - Atualizado em 23/08/2019 12h12

O governador Renan Filho
Foto: AssessoriaO governador Renan Filho

Caiu no colo de Renan Filho um problemão herdado de seus antecessores, que está tirando o sono do governador e vai exigir um gasto extra do combalido tesouro estadual. 

Trata-se de indenização milionária em favor do posseiro de uma fazenda na região do polo industrial de Marechal Deodoro, vítima de esbulho praticado no governo de Téo Vilela. 

O imbróglio data do Governo Ronaldo Lessa e, após vários anos de litígio, o Tribunal de Justiça reconheceu a posse legal do imóvel ao acatar uma ação de usucapião em favor do posseiro, que explorava a terra há mais de 20 anos.

Ao reconhecer o direito legítimo do posseiro, o TJ também condena o Estado a arcar com o ônus da desapropriação fraudulenta da fazenda e pagar uma indenização milionária, incluindo lucro cessante, danos morais e materiais. 

O imóvel rural usurpado pelo Estado foi destinado a várias indústrias que se instalaram no polo de Marechal Deodoro no Governo Téo Vilela, e que agora correm o risco de sofrer ações de despejo. 

Se vale de consolo, ao governador Renan Filho cabe o dever legal de cobrar dos responsáveis os valores que será obrigado a pagar a título de indenização, por erros do governo anterior. 

Nesse imbróglio tem o rastro de tucanos de alta plumagem que davam as cartas no governo de Vilela e que precisam ressarcir os cofres públicos. Ao MP cabe propor ações de improbidade contra todos os envolvidos.

As contas do prejuízo estão sendo refeitas, e segundo advogados das partes, a indenização a ser paga pelos cofres públicos deve atingir algumas dezenas de milhões de reais.

Os membros da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) que atuaram no caso e o setor jurídico da Companhia Alagoana de Recursos Humanos e Patrimoniais (Carph) devem explicações nesse processo vergonhoso. 

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade