Alagoas, 22 de outubro de 2019 23º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
MEIA-BOCA NO PINHEIRO

Laudo deverá ser 'balde de água fria' na expectativa dos moradores do bairro

Redação

20/04/2019 07h07

Laudo deve surpreender negativamente os moradores
Foto: DivulgaçãoLaudo deve surpreender negativamente os moradores

Fontes ligadas aos órgãos responsáveis pelos estudos sobre o Pinheiro confidenciaram à coluna que o relatório a ser divulgado até o dia 30 deste mês deverá ser um balde de água fria na expectativa dos moradores do bairro condenado.

Alegam que só a região mais afetada pelas rachaduras deverá ser reconhecida como área de risco, e nessa condição, os imóveis seriam indenizados e o local transformado em área verde.

Como forma de minimizar a frustração dos moradores das demais regiões, seria realizado um programa de ações conjuntas de melhoria da infraestrutura e uma campanha institucional para resgatar os brios do bairro e de seus moradores. É esperar para ver se a gambiarra virá mesmo.

Nos bastidores da torre de batel em que se transformou o caso Pinheiro diz-se que vai prevalecer a versão de falha geológica como causa dos abalos que ameaçam afundar o bairro. E, nesse contexto, as atividades de mineração da Braskem teriam apenas agravado o problema naquela área e que o restante do bairro estaria preservado. 

A valer tal versão, a mineradora terá mesmo que contratar os melhores advogados do país para enfrentar a ira de um bairro condenado. Até porque ao bloquear R$ 2,6 bilhões das contas da Braskem, a Justiça reforça o sentimento coletivo de que a petroquímica tem culpa no cartório.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade