Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 989 / 2018

15/09/2018 - 07:41:07

Antônio Albuquerque é acusado de alterar projeto para preservar fazenda

Mudança ameaça santuário símbolo de Limoeiro de Anadia

Bruno Fernandes - Estagiário sob supervisão da Redação
Mudança do traçado original da rodovia pelo deputado Antônio Albuquerque coloca em risco o santuário da padroeira da cidade

O deputado estadual Antônio Albuquerque (PTB) está sendo acusado de alterar por conta própria um trecho de retorno na AL-220, que dá acesso ao município de Limoeiro de Anadia, no Agreste de Alagoas. O trajeto original passaria por dentro da fazenda Espírito Santo.

De acordo com projeto do programa Pró-Estrada, o trecho de 32 quilômetros ligando Campo Alegre a Arapiraca através de duplicação, com um custo estimado em R$ 67 milhões, apresentado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER/AL) em 2017, e a ser executado pela empresa S.A. Paulista, deveria passar por dentro de propriedades particulares. Uma das propriedades pertence ao deputado e ao procurador de Justiça Lean Araújo, porém, apenas o procurador concedeu parte de suas terras para passagem da via que é de interesse do estado.

Denúncia realizada pelo empresário Robson Calixto relata que o parlamentar alterou por conta própria o projeto e moveu as demarcações para o outro lado da rodovia, invadindo aproximadamente 17 metros da propriedade que tem seis hectares de terra, local onde o empresário proprietário da Calixto e Falcão Empreendimentos Investimentos Imobiliários e Participações LTDA está construindo um loteamento registrado em cartório como Alto da Serra e que já possui compras efetuadas.

“Isso não passa de perseguição política por parte do deputado. Ele já tentou comprar minhas terras há algum tempo, mas eu neguei a venda e apresentei o projeto que tenho em mente para o futuro das minhas terras. Agora ele viu a oportunidade de me prejudicar e está fazendo isso, demarcando por conta própria minhas terras e alterando um projeto de duplicação”, relatou o empresário, que afirmou estar acionando a justiça para resolver o problema.

Não bastasse a invasão arbitrária realizada por funcionários do deputado estadual, a ação além de prejudicar o empreendimento, também ameaça prejudicar o Santuário de Nossa Senhora da Conceição, um dos maiores do interior de Alagoas situado em um pequeno terreno dentro do loteamento Vista da Serra, mas que foi doado pelo empresário a prefeitura do município.

No local que dá acesso ao município de Limoeiro de Anadia encontra-se a imagem da padroeira da cidade, além de praça com mirante, capela e quiosques para receber turistas, nativos e viajantes. A nova demarcação passa a poucos metros da base da imagem que se tornou símbolo da cidade.

O Executivo e o Legislativo do município estão insatisfeitos com a alteração do projeto original. De acordo com o prefeito de Limoeiro de Anadia, Marcelo Rodrigues (PP), a decisão de modificar o santuário dedicado a padroeira do município vai contra os interesses da população e da igreja e que se preciso serão acionados meios judiciais para alterar a obra. “Estamos analisando o projeto apresentado e iremos tentar conversar com eles, mas faremos o que for preciso para que essa alteração não seja feita”, esclareceu o prefeito. A mesma opinião tem o presidente da Câmara Municipal, o vereador Valmirzinho (DEM).

Segundo o engenheiro técnico do DER, Raynilson Moreno, responsável pela obra do trecho de duplicação, a decisão de alterar o trajeto original do projeto foi tomada após uma série de análises técnicas e econômicas que impossibilitariam colocar em prática o percurso inicial e que isso é normal em uma obra deste porte. “Não é a primeira vez que precisamos fazer isso; tem vários trechos em que foram tomadas decisões de adaptação para não prejudicar algumas propriedades”, explicou.

A opinião é contestada pelo empresário Robson Calixto que garante que a decisão foi tomada por influência de Antônio Albuquerque, visto que no local de sua propriedade onde passaria o trajeto não é uma área urbana, além de que o retorno poderia ser posicionado um pouco antes ou um pouco depois de sua área, sem prejudicar seu empreendimento.

Filho do deputado Antônio Albuquerque, o deputado Federal Nivaldo Albuquerque negou as acusações feitas pelo empresário. “As novas marcações foram feitas pelo departamento responsável pelas obras ali na região. Temos algumas propriedades lá, mas essa informação de que estamos alterando projetos em nosso benefício é uma inverdade”, afirmou.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia