Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 985 / 2018

22/08/2018 - 09:51:53

Sururu

Da redação

Farol das Alagoas

1 - No deserto de ideias em que se revela o embate pela Presidência da República, um alagoano ilustre é citado como exemplo de como gestores públicos devem se comportar. Trata-se dos relatórios de gestão que Graciliano Ramos enviou ao governo de Alagoas em 1929 e 1930 quando foi prefeito de Palmeira dos Índios. 

2 - Em artigo publicado no dia 9, na Folha de S. Paulo, o escritor e jornalista Sérgio Rodrigues recorre a Graciliano Ramos para enxergar alguma luz “em meio à neblina densa que antecede mais uma eleição”. 

3 - Intitulado “O país de Graça”, o artigo lembra que o relatório do prefeito Graciliano Ramos ilumina o que “o Brasil poderia ser”, mas acabou impraticável em meio à corrupção e falta de ética da política brasileira. 

4 - “No gesto radical de um homem público inusitado e incorruptível, vislumbra-se um Brasil ideal, impraticável, mas em meio à neblina densa que antecede mais uma eleição, o país de Graça brilha como um farol”, conclui o jornalista.

5 – Pena que nem os gestores municipais de Alagoas aprenderam a lição de Mestre Graça. Que o diga o atual prefeito da mesma Palmeira dos Índios, Júlio Cezar, que se vestiu de imperador e esqueceu o sofrido sertanejo que o elegeu.

Frase da semana

“Não há salvação com o modelo político      que vigora no Brasil”. 

Luís Roberto Barroso – ministro do STF

Bancada federal

Dos 9 deputados da bancada alagoana na Câmara Federal, 7 irão disputar a reeleição, sendo 4 pelo chapão de Renan Filho e 3 pela coligação de Fernando Collor. 

Dos 2 restantes, Maurício Quintella disputará uma vaga de senador e Cícero Almeida tentará uma cadeira na Assembleia Legislativa. 

Bancada estadual

Dos atuais 27 deputados estaduais, apenas 3 deles estão fora da eleição deste ano: João Beltrão, Luiz Dantas e Marquinho Madeira. JB e Dantas serão substituídos por seus herdeiros políticos e Madeira tentará eleger o pai. 

Ao todo, 24 deputados estaduais disputarão a reeleição e 3 tentarão vaga na Câmara Federal: Severino Pessoa, Isnaldo Bulhões Filho e Sérgio Toledo. Já o deputado Rodrigo Cunha disputará uma vaga de senador. 

Renovação

Analistas políticas acreditam que o Legislativo Estadual deve renovar pelo menos um terço de seus deputados. Dos postulantes, os possíveis novos inquilinos da Assembleia serão Paulo Dantas, Cybele Moura, os primos Marcelo e Yvan Beltrão, Célia Rocha, Fátima Canuto, Sílvio Camelo, Lobão e Cícero Almeida. 

Trata-se de renovação de nomes, não necessariamente de ideias, dado que a maioria deles representa a continuidade do poder oligárquico que manda em Alagoas desde as capitanias hereditárias. 

Pedidos de Collor 

O senador Fernando Collor não pretendia rachar com os Calheiros e muito menos disputar o governo de Alagoas. Só o fez após ter dois pedidos negados. 

Collor queria encaixar o filho Fernando James em uma coligação que permitisse disputar uma vaga de deputado federal com alguma chance de vitória. 

O outro pleito dizia respeito à vaga de vice-governador. Collor não queria impor um nome, mas pediu que Luciano Barbosa não fosse o indicado. 

No entanto, o pano de fundo desse racha é a eleição de 2022, quando Renan Filho pretende ocupar a vaga de Collor no Senado. Como titular do mandato, Collor não abrirá mão de sua reeleição.

Boa briga

Na briga entre Collor e Renan não se sabe quem será o vencedor, mas seja qual for o resultado, a democracia sairá ganhando e o povo beneficiado. 

Afinal, em eleição majoritária sem disputa todos perdem, inclusive o candidato único, cuja vitória precisa ser legitimada pelas urnas. 

Projeto de poder

Em seu obstinado projeto de poder, Renan Filho vai driblando possíveis adversários de amanhã e deixando pelo caminho um rastro de mágoas e inimizades. 

Além de quebrar a aliança com Collor, Renanzinho deu rasteira em Fábio Farias, que foi afastado do governo para ser vice-governador. Não será o candidato nem voltará ao governo. 

Em sua maratona rumo ao poder, Renan Filho, se reeleito governador, quer chegar ao Senado em 2022 e ao Planalto em 2026. Só falta combinar com os eleitores. 

Mandacaru

Assessores mais próximos avaliam que Renan Filho é da escola de Lessa e Suruagy, que não fizeram aliados nem herdeiros políticos. 

É o chamado político-mandacaru, que não dá sombra nem encosto para ninguém. 

Sangue hebraico

A disputa ao governo de Alagoas foi incrementada com a participação de dois nomes históricos de ascendência bíblica: Christopoulos, do Psol, e Melquezedeque, do PCO, ambos de origem hebraica. O primeiro foi lutador grego integrante dos Jogos Olímpicos de Verão de 1896 e o segundo representa a figura do “rei da justiça”. 

Discutindo o 

Brasil

Maceió vai receber, entre os dias 21 e 24 de agosto, a 75ª Semana Oficial da Engenharia e Agronomia de Alagoas, o maior evento de profissionais da engenharia, técnicos e tecnólogos do País, que traz o tema “Engenharia e Ética na reconstrução do Brasil”. 

Entre as atrações de destaque estão o escritor e filósofo Clóvis de Barros Filho, o professor e difusor de conceitos e atividades ligadas a inovação Gil Giardelli e uma sabatina com candidatos à Presidência da República. As inscrições podem ser feitas por meio do site www.soea.org.br ou presencialmente no Centro de Convenções Ruth Cardoso.

A sabatina 

Com o objetivo de dar suporte na formação da intenção de voto de seus profissionais neste ano de importantes eleições é que a 75ª Soea promoverá a sabatina presidencial.

Entre os convidados estão os candidatos Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Gui-lherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede).

Retomada

O Salão do Imóvel 2018 bateu recorde de vendas com R$ 80 mi-lhões em negócios consolidados. “É a retomada do mercado imobiliário tocado pelo aquecimento da economia”, diz Jubson Uchôa, presidente da Ademi. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia