Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 984 / 2018

14/08/2018 - 20:04:20

Eletrobras Alagoas é a segunda pior distribuidora do Nordeste

Empresa também é considerada a 11ª pior do país

Bruno Fernandes Estagiário sob supervisão da Redação
Unidades Consumidoras afetadas por interrupções no fornecimento de energia na região Nordeste de 2011 a 2017

Parece notícia repetida mas não é. Alagoas possui uma das piores distribuidoras de energia elétrica do Nordeste segundo estudo divulgado na última terça-feira, 7, pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). De acordo com os dados apresentados pelo órgão,  Alagoas, Bahia, Pernambuco e Piauí foram os estados mais atingidos com quedas constantes de energia na região.

O estudo considerou dados de todas as 91 distribuidoras de energia do País que atendem 81 milhões de UCs (unidades consumidoras). Foram feitas análises nacionais e regionais no período de 2011 a 2017 do número de UCs ao longo dos anos, da quantidade de unidades afetadas pela violação dos indicadores de continuidade de serviço - considerando o DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) e o FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) - e do valor limite dos indicadores.

Ainda segundo o Idec, que colocou a Eletrobras Distribuição Alagoas como a segunda pior concessionária de energia do Nordeste e a 11ª do País, a interrupção no fornecimento de energia afetou aproximadamente 932.530 consumidores em 2015, tendo uma redução para 763.355 em 2016 e saltando para 969.307 em 2017. Essas interrupções podem ser cada vez mais recorrentes ao longo do tempo.

Em outros números, a Eletrobras, que deveria assegurar qualidade e continuidade no fornecimento de energia, em conformidade com a legislação vigente, prejudicou cerca de 1.001.311 pessoas com quedas de energia em 2017. Ou seja, apenas no ano passado, cerca de um terço da população alagoana foi afetada por quedas de energia.

De acordo com o documento, a análise baseou-se em quantificar as Unidades Consumidoras afetadas pela violação do valor limite dos indicadores de continuidade de serviço de cada conjunto propostos pela própria Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

De forma geral, o levantamento constatou que o Nordeste e o Centro-Oeste sãos as regiões cuja qualidade do serviço são uma das mais diferenciadas. Ou seja, enquanto um morador de Alagoas pode ficar até 20h seguidas e 13 vezes por ano sem energia, uma pessoa de São Paulo fica, no máximo, sete horas seguidas à luz de velas, seis vezes por ano.

Essa não é a primeira vez que Alagoas chama atenção pela baixa qualidade de prestação de serviços elétricos. Ainda este ano, um ranking divulgado pela Aneel revelou que a Eletrobras Alagoas ficou na penúltima posição do ranking que estudou a evolução de 33 empresas de grande porte. O EXTRA manteve contato com a Assessoria de Comunicação da empresa para que se posicionasse sobre o levantamento do Idec mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia