Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 981 / 2018

24/07/2018 - 10:13:02

Só brigas, beijos e muitas sacanagens

José Fernando Martins [email protected]

Há alguns anos passados, poucas pessoas possuíam televisão e muita gente utilizava o rádio para ouvir novelas. Com o advento da televisão, aos poucos o povo foi comprando suas televisões em preto e branco, mas, poucos anos depois, ela passou a ser colorida. O modernismo chegou ao Brasil e as novidades passaram a ser televisão com as suas novelas. Eu mesmonunca assisti ou acompanhei novelas, mas sabia do sucesso delas, principalmente junto às mulheres. Eu tenho lembranças da novela que fez muito sucesso, denominada de “O Direito de Nascer”. As novelas eram as coqueluches do momento e todas elas serviam como divertimentos, como foram as novelas “Roque Santeiro” e o “Bem Amado”. Por curiosidade, eu à vezes via pedaços de capítulos. Pelo que eu sei, seus enredos eram bem estruturados, com atores e atrizes importantes e sempre mostravam estórias interessantes, sem as safadezas de hoje. 

Hoje em dia tem muita gente viciada em novelas, perdendo trabalhos, missas, ônibus, compras, divertimentos, compromissos e até se separando da mulher por causa das novelas que ensinam como colocar “chifres” nos maridos ou se tornar “mulher sapatão”. Muitas dessas pessoas deixam de se alimentar, enquanto as novelas estão sendo exibidas, e algumas já estão birutas, sem tomar banho, sem ligar para as roupas que antes vestiam e sem pentear o cabelo. Já existem pessoas

que antes eram de cabeças boas e que ficaram malucas, de tanto ver novelas. Pessoas que antes eram equilibradas e ficaram com os parafusos frouxos. Por sua vez, existem mulheres que antes eram sérias e fiéis aos seus maridos e passaram a fazer tudo que as novelas ensinam. Existem pessoas do sexo masculino que passaram a ser “bichas assumidas”,  já que as novelas fizeram com que elas tivessem coragem de assumir a viadagem. As novelas estão deixando as pessoas muito liberais.

Me disseram como são as novelas mexicanas, sérias e com enredos equilibrados. Disseram que os mexicanos só se preocupam em fazer novelas sem safadezas, sem brigas, sem putaria e com poucos beijos, pois beijos de atrizes e atores tarados, só nas nossas novelas, e assim mesmo, em casos necessários. Já numa novela brasileira, são dados mais de 20 beijos desnecessários e mais de 30 brigas em cada capítulo. É uma sacanagem atrás de outra! Também é patente o homossexualismo, as traições, as enganações, as separações, os pecados combatidos pela igreja católica, o incentivo para crimes, a prostituição e tudo que existe de sacanagem. Nas novelas mexicanas e de outros países, existe o romantismo e o sexo sem ser animalesco, com enredos bem bolados, com estórias bem desenvolvidas e com mensagens inteligentes. Os nossos novelistas parecem pessoas especialistas em tudo que não presta. 

Em tempo – O dr. Regis Jackson Cavalcante e o dr. juiz Oduvaldo Persiano são meus leitores das sextas, no EXTRA. Que bommmmmm tê-los como meus leitores! 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia