Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 978 / 2018

04/07/2018 - 09:54:54

Meio Ambiente

Sofia Sepreny

Biodigestor

Um agricultor da cidade de Coité do Noia, no Agreste alagoano, criou um biodigestor utilizando fezes de porco. Ele criou um buraco no quintal de casa com profundidade de 1,50 m e 1,20 m de diâmetro. Dentro do buraco tem um tanque com cimento, uma placa de metal e areia. O biodigestor conta com dois reservatórios, um para água e esterco e outro para descarga, por onde sai o biofertilizante. No tanque principal, a caixa armazena o biogás, que segue direto por um cano de PVC até a cozinha da residência. Os resíduos orgânicos produzem bactérias e, em seguida, é gerado o gás metano. 

Fogos de artifício

Os fogos de artifício são uma tradição nesta época do ano, principalmente no Nordeste. O Brasil é um dos maiores produtores de fogos de artifício do mundo. Mas esse espetáculo pirotécnico interfere, e muito, no meio ambiente. São milhares de partículas de dióxido de carbono (CO2) espalhadas pelo ar. A queda desses fogos pode provocar incêndios, fora a forte poluição sonora que assusta as aves e outros animais. Os barulhos podem chegar a mudar o comportamento dos pássaros, alterando a rotina e, muitas vezes, provocando a migração. 

Mar de plástico 

A ONG World Wide Fund for Nature (WWF) alerta que o Mar Mediterrâneo, que banha a costa Sul da Europa, Norte da África e Oeste do Oriente Médio, pode se tornar “um mar de plástico”. O Mediterrâneo bate recordes de quantidades de microplásticos, detritos de plástico com menos de cinco milímetros. Eles são cada vez mais encontrados na cadeia alimentar, representando uma ameaça à saúde humana. Segundo estudo realizado pela ONG, a concentração desse micro-resíduos é quase quatro vezes maior no Mediterrâneo em comparação com os mares abertos de outras partes do mundo.

Energia solar

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) passou a permitir que pessoas físicas financiem a instalação de sistemas de aquecimento solar e cogeração, como placas fotovoltaicas e geradores a biogás. Os interessados poderão financiar um limite de até 80% do valor dos itens pelo Fundo Clima, podendo chegar a R$ 30 milhões a cada 12 meses por beneficiário.  A implantação de sistemas de geração de energia solar permite reduzir gastos com a conta de luz, já que passarão a comprar menos energia da concessionária e poderão, dependendo da região, fazer até uma conta corrente de energia vendendo o excedente para a distribuidora, segundo o BNDES.

Pontos Vivos

Com o contínuo descarte irregular de lixo em Maceió, a prefeitura criou 16 pontos vivos, distribuídos em vários bairros da capital. E quem desrespeita a orientação e joga lixo no local está sujeito a multa. É um projeto que busca recuperar e isolar áreas onde a população utilizava para descartar resíduos. A Superintendência de Limpeza Urbana (Slum) afirma que há vários pontos crônicos de lixo e entulho em ruas da capital.  Com o objetivo de manter os canteiros limpos e muito mais verdes, a prefeitura criou o projeto. Entretanto, mesmo com a implantação e orientação para os moradores da região, as pessoas continuam fazendo o descarte irregular.

Baobás

Muitos dos baobás mais antigos da África estão morrendo há dez anos possivelmente por conta da mudança climática. Com entre 1.100 e 2.500 anos de idade, os baobás e seus troncos maciços coroados por galhos parecidos com raízes são uma das silhuetas mais emblemáticas das áridas savanas. Nos últimos 12 anos, nove dos treze baobás mais velhos estão parcialmente ou totalmente mortos na África. Maceió tem um único baobá registrado, localizado no bairro da Ponta Verde.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia