Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 976 / 2018

17/06/2018 - 08:46:38

Alagoas na vanguarda do tratamento de câncer de cérebro

Tecnologia não é invasiva e age diretamente sobre o tumor

Maria Salésia com assessoria - [email protected]
Médico radioterapeuta Caio Arraes afirma que técnicas garantem alto grau de precisão - Foto: Bruno Fernandes

Alagoas é um dos quatro estados brasileiros que conta com um dos mais modernos equipamentos no tratamento do câncer de cérebro. Trata-se da radiocirurgia, em aplicação pela clínica Medradius, em Maceió. O mérito deste tratamento é que não é invasivo e age diretamente sobre o tumor, sem necessidade de abrir a cabeça do paciente. 

Pioneiros no Estado, trata-se de tecnologias mais modernas que existem no mundo, elevando o nome de Alagoas na escala de tratamento contra o câncer. Além da precisão, o procedimento é mais curto durando em média de um a seis dias. E assim, a toxidade tende a ser mais baixa. 

Segundo o médico radioterapeuta do Centro de Tratamento de Câncer da MedRadius, Caio Arraes, Maceió se destaca com equipamento moderno de radiocirurgia e SBRT (técnica que possibilita o tratamento de radiocirurgia em outras partes do corpo) para tratar lesões benignas ou malignas (câncer) cranianas e extracranianas, sem corte. 

Ele esclarece que a radiocirurgia, ou radioterapia estereotática craniana, é um tratamento que apesar do nome não se trata de cirurgia. Na verdade, é uma modalidade de radioterapia que permite tratar lesões cerebrais com altas doses de radiação, em uma ou poucas aplicações, com elevada precisão, com a vantagem que não há necessidade de cortes ou anestesia. 

“É uma técnica precisa, utilizada para tratar tumores cerebrais benignos ou não, tumores recidivados, TOC, tumores oculares, entre outras lesões cranianas”, esclareceu Arraes.

O radioterapeuta informou, ainda, que tanto a radiocirurgia quanto a SBRT são realizadas na máquina de radioterapia, que possui braços chamados de Cone Beam. “Este equipamento oferece precisão, pois faz uma tomografia do paciente no aparelho de radioterapia imediatamente antes da aplicação, o que mostra o local exato onde está a lesão (tumor) a ser tratada”. E mais: “os efeitos colaterais tendem ser menores, pois o tratamento é muito localizado e não há contraindicação”. 

Para Arraes, por aumentar a precisão, esta técnica possibilita que os resultados aconteçam de forma mais rápida e os efeitos colaterais sejam minimizados. “Aqui tentamos oferecer o que há de melhor. A vantagem é que o paciente pode fazer o tratamento aqui mesmo, junto de sua família, sem necessidade de se deslocar para outros centros como São Paulo”, comparou.

Outra vantagem é que a aplicação dura cerca de 20 minutos, além do que o procedimento é feito através investigação de imagem, melhorando assim o acerto e evitando radiações a órgãos vizinhos.  O atendimento começou este ano, mas o corpo técnico e tecnológico está bem estruturado, pois a equipe vem se preparando há dois anos através de testes, cursos e outros meios. É o que garante o doutor Arraes ao afirmar que “o paciente pode fazer o procedimento aqui com toda confiança.”

Mortes por câncer

Pesquisa do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), do Ministério da Saúde, de fevereiro deste ano, estima que 5.050 pessoas em Alagoas podem ser diagnosticadas com câncer ainda em 2018. 

Segundo o documento, a estimativa é que, do total, 630 sejam de próstata; 560 de mama; e 320 de colo de útero. Somente em Maceió, a previsão é que 1.840 novos casos sejam descobertos. 

No entanto, a maioria dos casos poderia ser evitada se as pessoas tivessem hábitos saudáveis. É que, para especialistas, o impacto do dia a dia é maior do que a genética.

Vale ressaltar que o câncer é o nome genérico para um grupo de mais de 200 doenças. Embora existam muitos tipos de câncer, todos começam devido ao crescimento e multiplicação anormal e descontrolado das células. A enfermidade também é conhecida como neoplasia. 

A ciência médica que estuda o câncer se denomina Oncologia e é o oncologista o profissional que trata a doença.  O alerta de especialistas é que os cânceres que não forem tratados causam doenças graves e levam a morte.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia