Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 971 / 2018

15/05/2018 - 10:47:51

Nunca vi tanta petulância

JORGE MORAIS

Confesso que sou uma pessoa que respeita muito o ponto de vista das outras pessoas. Sou do diálogo, mas defendo os meus pontos de vista até o último instante. Não sou facilmente enganado ou convencido, mas sei perder e me render aos argumentos dos outros. Como ex-líder sindical e, hoje, liderando um grupo de associados, formado por jornalistas e radialistas profissionais, tenho a obrigação de prestar contas de tudo aquilo que faço. Bem diferente da secretária de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de Alagoas, Cláudia Petuba. Submetida a uma lavagem cerebral, imagina que só ela conhece de administração pública, que não comete erros e que está acima do bem e do mau.

Na verdade, a Cláudia Petuba ainda acha que vai resolver as situações no discurso, às vezes não falando a verdade e, nesse esconderijo e no jogo de palavras, com interesses outros que ainda não consegui alcançar, mesmo que não seja enganado facilmente. Esta semana, acompanhado de alguns companheiros de diretoria da Associação dos Cronistas Esportivos de Alagoas (ACEA), me reuni com a secretária em um ambiente que mais parecia um campo de batalha. Fomos convidados pela secretária para uma reunião, onde todas as respostas às nossas reivindicações já estavam prontas: o não foi dado para tudo aquilo que fosse solicitado em nome de uma categoria profissional, a dos cronistas esportivos alagoanos. Para quê, então, a reunião?

Não enxergo em nenhum outro secretário do governo Renan Filho tanta petulância, arrogância, desequilíbrio nas decisões, cinismo nas respostas como na Cláudia Petuba. Não acredito que a escolha de seu nome para dirigir a pasta de Esporte, Lazer e Juventude do Estado tenha sido uma escolha pessoal do governador. Essa não é a primeira vez que ela “bate de frente” com uma entidade. Foi, assim, em um passado recente com os presidentes de CSA e CRB, e olhe que tem nesse contexto um deputado estadual, mas ela ganhou a quebra de braço, literalmente, fazendo impor aos dois maiores clubes de Alagoas a sua vontade, na ânsia em administrar.

Não entro no mérito da questão se tinha ou não razão na questão suscitada, mas ganhou a quebra de braçoscontra Rafael Tenório e Marcos Barbosa. Ela, inclusive, disse isso na nossa reunião, que fez um acordo com os dois em relação a taxa de aluguel do estádio para os clubes, porque o governador Renan Filho interferiu e os valores foram reduzidos em algumas ocasiões, mas se dependesse dela não fecharia esse entendimento como ocorreu. Essa é a secretária Cláudia Petuba, que deve ter um padrinho muito forte para continuar comandando a Selaj.

Conheço muitas outras pessoas mais competentes para essa missão, inclusive no próprio PC do B, partido do qual tive a honra de pertencer e de ter sido assessor do grande representante no estado de Alagoas, o ex-deputado Eduardo Bomfim, de um nome como do camarada Ênio Lins, entre outros, numa época em que se formavam lideranças comprometidas com as lutas sindicais e políticas com sabedoria e coerência. Aqui registro o meu desabafo pela maneira como fomos recebidos pela secretária. Isto tudo é só o começo. Aguarde novos capítulos, em nome da nossa ACEA. Aguarde cartas.   

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia