Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 970 / 2018

09/05/2018 - 15:59:15

Policial federal mira vaga no Senado

Para Flávio Moreno, Renan e BIU de Lira representam o que há de mais atrasado na política

JOSÉ FERNANDO MARTINS [email protected]
Agente federal se considera exemplo de superação

Flávio Moreno, especialista em segurança pública há 23 anos, atuou como coordenador do Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas da Polícia Federal em Alagoas e agora é o mais novo nome à disputa para o Senado pelo Partido Social Liberal (PSL). Conforme o pré-candidato, a sigla se viu na necessidade de lançar um nome para concorrer contra os grandes caciques, como os já senadores Renan Calheiros (MDB) e Benedito de Lira (PP). 

“Meu nome representa a esperança de renovação, da superação de vida. Dos 13 aos 18 anos trabalhei na feira vendendo biscoito. Fui atendente do McDonald’s e passei em concurso público aos 19 anos. Tenho 23 anos de atuação na segurança pública, sendo 10 anos na Polícia Federal combatendo o crime organizado e a corrupção. Represento a superação e os anseios da população por renovação”, disse ao EXTRA. 

Em enquete promovida pela FederalNews nas redes sociais, em fevereiro deste ano, Moreno recebeu, de acordo com ele, um bom retorno dos eleitores, que o colocaram entre os primeiros colocados. Na ocasião, o PSL de Alagoas nutria a esperança de ter o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar, na disputa para o Senado. “Ele desistiu após ouvir a família e amigos. Lamentamos, mas continuamos a caminhada por renovação. Grande parte de seus simpatizantes são os mesmos que os meus”, destacou. 

Flávio Moreno é formado em Direito, presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Alagoas, da Central Pública dos Servidores e conselheiro da Ordem dos Policiais do Brasil, além de coordenador do Projeto Social “Amigos da Federal”, de prevenção às drogas voltado para alunos das escolas públicas. “Tenho experiência de vida, conquistada ao longo dos meus 42 anos”, frisou. 

Diferentemente do discurso de outros pré-candidatos, Moreno não enxerga uma desvantagem diante dos poderosos nomes da política alagoana. “Renan e Biu representam o que há de mais atrasado na política nacional. Eles fizeram parte de quase todos governos nos últimos 30 anos no país, mas veja a situação de Alagoas. É precariedade em todos sentidos. Deveriam ter vergonha de pedir o voto dos alagoanos. Renan tenta seu quarto mandato como senador, já até renunciou para não ser cassado. Tem quase 24 anos só de Senado. Biu tem quase 50 anos de mandatos parlamentares. E Alagoas tem enfrentado um caos em todos os setores, como desemprego, na saúde pública, segurança e educação. Eles ainda estão encobertos de escândalos e investigações criminais, inclusive na Lava Jato”. 

Também não poupou críticas também a Marx Beltrão (PSD) e Maurício Quintella (PR). “São até esforçados, mas lhes faltam maior experiência de vida, não possuem a metade que tenho. Quem sabe se conversarem mais comigo passam a ter. Não tenho nada pessoal contra nenhum deles, mas politicamente tenho divergências”. 

Para o pré-candidato ao Senado, é preciso ainda resgatar a autoestima do alagoano. “Vejam Israel e Las Vegas, nos Estados Unidos, no meio do deserto. São prósperas e abundantes em riqueza. Temos que extirpar o câncer da corrupção em cada município. Aprovaremos leis nesse sentido. O Chile, Peru, Bolívia e Paraguai estão se desenvolvendo e estão mais seguros que o Brasil”.

Caso seja eleito, disse que levará uma visão mais conservadora para o Senado, com projetos que resgatem os valores da pátria, tragam a qualidade de vida, a paz na família, o desenvolvimento e segurança para a população. “Aprovaremos um projeto de lei para que cada município possa ter as verbas aplicadas investigadas pela Polícia Federal, independentemente se esses recursos são de impostos municipais, estaduais ou da União. Pediremos a abertura de concurso público para 10 mil policiais federais para o sistemático combate à corrupção e à entrada de drogas e armas no país. Pedirei a modernização da segurança que adormece no Congresso há 30 anos”.

Moreno possui inclusive uma visão ligada ao seu apoiador, Jair Bolsonaro (PSC). “Aprovaremos a lei da militarização das escolas públicas, levando distribuição de renda a partir da educação de excelência às nossas crianças e jovens, de valores pátrios, a disciplina e competição sadia. Revogaremos o estatuto do desarmamento e garantiremos o direito da legítima defesa para cada proprietário de terra, imóvel, comerciantes e cidadão de bem. Criminosos sejam de colarinho, juvenis ou comum terão penas rigorosas. Aprovaremos leis para voltar a dar a paz ao cidadão de bem. Garantiremos mais recursos para segurança, saúde, educação e o desenvolvimento de nossa Alagoas, principalmente”, finalizou.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia