Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 967 / 2018

17/04/2018 - 20:55:20

A história não gostou da corrupção

JOSÉ ARNALDO LISBOA

Eu sempre gostei e continuo gostando de folhear os compêndios da História Geral, principalmente sobre os feitos mais destacados dos reinados, seus hábitos, pompas, guerras, vitórias e derrotas e, ás vezes, seus fins melancólicos, como aconteceu recentemente com o Sr. Lula. Sempre fui admirador de Napoleão Bonaparte, sua inteligência, suas invasões, vitórias e derrotas, seus amores e até sua teimosia diante do “general inverno” que o derrotou, nos frios da Rússia. Também sou admirador do Império Romano, com seus loucos personagens, como Calígula. Gostava de saber da bravura dos soldados do grande Júlio César e ter lamentado o assassinato do seu ilustre comandante, com a ajuda do seu filho Brutus, em pleno Senado romano. Já li nas paginas da História Universal os feitos de reis e rainhas da França, às vezes com pitadas de honradez e decência. A história me mostrou as batalhas sangrentas entre Esparta e Atenas, bem como o grande Império da Macedônia, conduzido por Felipe e, depois, pelo seu filho Alexandre III, chamado de Alexandre, o Grande. Cada um constituiu a história à sua maneira. Hitler, com sua loucura, provocou a Segunda Guerra Mundial, a ponto de ter sido um dos principais culpados pela morte de milhões de inocentes. A história é bonita para o povo egípcio e o povo grego, mesmo que nela já tenha havido assassinatos, traições e outros tipos de acontecimentos horríveis.

O Brasil é um país novo, já com uma recheada história, com fatos que merecem nossa atenção, já com revoluções, levantes e períodos negros, como na ditadura de Getúlio Vargas. Em compensação, já tivemos período de calmaria, com governos tranquilos e progressistas, como o de Juscelino Kubischek. Tivemos um período de domínio militar, como aconteceu há poucos anos, porém, sem exageros dos seus presidentes. Depois do período militar, tivemos uma época com democracia plena, até que apareceu como candidato a presidente o sr. Luiz Inácio Lula da Silva. Com uma boa inteligência, nasceu no meio de sindicatos e, com sua teimosia, terminou sendo eleito presidente da República. Mesmo com pouca leitura, terminou aparecendo no mundo político, junto de reis, rainhas e líderes mundiais. O homem teve todas as oportunidades de ser um dos grandes da História do Brasil, porém viu o dinheiro e a corrupção como únicos meios de ser milionário e importante. 

A História não aceitou a sua maneira de agir. Assim, ele se uniu a outros desonestos e formou uma quadrilha para ganhar dinheiro sujo. A História não o aceitou como tal e, num ato democrático, o julgou, o condenou e o destituiu da Presidência da República, coisa que aconteceu pela primeira vez na História do Brasil. A História julgou o Sr. Lula e demonstrou que ela aceita invasões, guerras, derrotas, vitórias, pompas e assassinatos, porém ainda está para aceitar atos de corrupção. Lula enganou a História que, chegou a lhe dar muitas oportunidades, mas, ele não soube aproveitá-las. Assim, foi punido!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia