Acompanhe nas redes sociais:

22 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 966 / 2018

11/04/2018 - 11:21:30

A justiça não é igual para todos

JORGE MORAIS

Passei, pelo menos, muitos meses ouvindo a justiça dizer que réu condenado em 2ª instância vai para a cadeia. Mas, parece que esse não é o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, até agora, continua solto e ainda tem um monte de advogados, representados pela OAB/Nacional, assinando um documento que foi entregue a Suprema Corte do País dizendo que, para Lula ser preso, é preciso esgotar todas as artimanhas de seus advogados que, para ganhar tempo, entram com apelações e mais apelações e o Supremo Tribunal Federal não decide nada, muito pelo contrário, vai empurrando com suas gordas barrigas.

Ansiosos estão os advogados de outros políticos e gestores presos, torcendo como fazem os torcedores de Flamengo e Corinthians, as duas maiores torcidas do Brasil que torcem até com violência, por uma brecha nesse imbróglio todo que possa beneficiar seus clientes ladrões, tanto quanto o Lula, que estão nas cadeias do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Alguns deles já encaminharam seus pedidos vergonhosos de liminares para soltar seus ricos clientes, claro que milionários as custas dos recursos públicos, de obras superfaturadas e desviadas da saúde, educação, segurança, estradas, estádios de futebol, metrô, da Petrobras, BNDES, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e do Banco do Nordeste, apenas para citar alguns segmentos públicos.

As penitenciárias do Brasil estão lotadas de pessoas que não roubaram nem 1% do que alguns políticos e gestores públicos. Não que o valor se é pouco ou muito faça diferença para quem roubou. O problema é que poucos ricos estão na prisão, enquanto milhares de pobres estão pagando  suas penas, alguns ainda nem foram julgados, e não receberam as benesses que a justiça dá ao Lula, de aguardar em liberdade o julgamento que ainda não chegou ao seu final, se é que ainda vai existir mesmo esse julgamento para colocar o Lula na cadeia. 2ª instância é 2ª instância e ponto final. Isso já foi decidido lá atrás e os ministros indecisos da nossa justiça querem voltar atrás em suas decisões. Isso é uma vergonha.

Deixando esse assunto de lado por enquanto, pois já está enchendo o saco, vamos falar de um outro assunto que foi destaque no início dessa semana. Sem concorrente à altura para concorrer as eleições para o Governo de Alagoas, o governador Renan Filho reunião a imprensa para um café da manhã. Muitos companheiros foram lá pelo interesse jornalísticos, pois era a primeira vez que isso estava ocorrendo depois da confirmação de que o prefeito Rui Palmeira não seria candidato nas próximas eleições e isso trouxe um ar gelado para o processo, com alguns colegas dizendo que Renan vai ganhar por WO. Outros para reencontrarem os colegas, bater um papo e participar de um café, com certeza, rico em seu cardápio.

Depois de um balanço de sua gestão em três anos e três meses, Renan Filho se disse muito satisfeito com o trabalho do governo e garantiu que, com concorrente ou não, esse ano é que será de muito trabalho. Além do balanço nas áreas de saúde, educação, segurança, estradas e obras, ele disse que o prometido até agora será cumprido e mais promessas serão feitas até o final desse primeiro mandato. Quem achou que o governador estava se despedindo no encontro com a imprensa, estava redondamente enganado. Renan Filho disse que vai usar até o último instante que a Lei permite para outros encontros, que serão, brevemente, marcados com a imprensa alagoana. Pelo menos uma decisão: o cargo de vice-governador está aberto, pois Luciano Barbosa será candidato a deputado federal. Jô Pereira, Marx Beltrão, Maurício Quintella, Alfredo Gaspar todos estão no páreo. Vamos esperar...

(Este artigo foi escrito antes do julgamento do STF)

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia