Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 965 / 2018

04/04/2018 - 21:27:34

Te contei?...

Isaac Sandes Dias

Em minhas últimas leituras, comprovei algo de que há muito desconfiava. O poder, a força e o fascínio  que a mentira tem sobre a humanidade.

Principalmente, se essa mentira for divulgada em forma de fofoca e tiver como meio de condução os seus mais recentes e poderosos aliados.  A internet e suas redes sociais.

Exemplo definitivo e emblemático de tal afirmativa são as mentiras e fofocas divulgadas sobre a  vida  e o comportamento da vereadora Mariele Franco, assassinada no Rio de Janeiro. Afirmar que mentira tem pernas curtas é um dito totalmente desatualizado e anacrônico.  Hoje, mentira tem asas e essas asas tem a velocidade da fibra ótica.

Em artigo “É a fofoca, cara! A fofoca!”, publicado no portal www.filosofia.pro.br, o filósofo Paulo Ghiraldelli Jr, resumidademente e didáticamente, demonstra o poder e a eficiência da fofoca desde os gregos e afirma sem rodeios:                        “A fofoca tem sua velocidade e sua eficácia por uma razão simples: ela se faz passar pela revelação de um segredo, e a revelação de um segredo é algo redentor ou aparentemente redentor”.

Ali, o filósofo citado pretende dizer que a fofoca, com sua aura de magia, no sentido de fórmula milagrosa, fascina pelo fato de convidar o homem a ser  um iniciado nos segredos de uma revelação.

Da mesma forma, em sua obra “Sapiens uma breve história da humanidade”,  o escritor Yuval Noah Harari, nos fala sobre a fofoca.

Afirma ele que o grande salto que colocou o Homo Sapiens à frente dos outros hominídeos, se deu há cerca de 70 e 30 mil anos,  com a Revolução Cognitiva. Nela a espécie Sapiens aperfeiçou e desenvolveu a sua linguagem, capacitando-a, através de  inúmeras conexões de sons e sinais, a produzir  frases com sentido não mais toscos e singulares, mas elaborados e cerebrais. Em seguida, em uma segunda teoria, denominada de teoria da fofoca, afirma textualmente: 

“ Nossa linguagem evoluiu como uma forma de fofoca. De acordo com essa teoria, o Homo Sapiens é antes de mais nada um animal social. A cooperação social é essencial para a sobrevivência e reprodução. Não é suficiente que homens e mulheres conheçam o paradeiro de leões e bisões. É muito mais importante para eles saber quem em seu bando odeia quem, quem está dormindo com quem, quem é honesto e quem é trapaceiro”.

Segundo, o autor, isso é pura fofoca  e, ainda hoje, por mais que possa parecer piada, a maior parte da comunicação humana é fofoca.

Está aí a causa de estar o BBB, em sua 18a edição. Está aí a causa do sucesso de redes sociais aparentemente fúteis como Facebook e Instagram fazerem tanto sucesso.

Qual seja, a fofoca está no DNA da humanidade, para o bem ou para o mal. Ultimamente mais para o mal,  pois as conversas  e fofocas das comadres, da paróquia e dos clubinhos  do Bolinha deram lugar ao rastro de pólvora que é a internet e suas redes sociais. Hoje, apenas com um clique se enlameia a honra de qualquer um em poucos segundos. Hoje, o nosso treinador do 7 x  1, poderia até afirmar a seu modo:  a fofoca e a mentira tem  alegria nas pernas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia