Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 962 / 2018

14/03/2018 - 11:37:37

Gabriel Mousinho

A decisão de Rui

Gabriel Mousinho

O prefeito Rui Palmeira só quer mesmo anunciar sua decisão sobre as eleições deste ano no começo de abril, prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para desincompatibilização do cargo. Até lá, são muitas as especulações, embora nos bastidores a tropa de choque de Palmeira já trabalhe para definir alianças na capital e no interior do estado.

Para a chapa de oposição ter sucesso, contando aí as candidaturas majoritárias e proporcionais, somente com uma candidatura forte ao governo o time poderá deslanchar nas eleições de outubro. Mas, para isso, serão necessários acordos, alianças, compromissos e, naturalmente, vontade de todos os partidos envolvidos.

A dúvida, pelo menos por enquanto, é um nome para vice-governador, assunto em pauta entre os partidos mais fortes que integram a oposição. Os caciques do PP, PSDB, DEM, PR e outros discutem o tema com certa preocupação.

Para uns o vice deveria sair de um dos grandes colégios eleitorais do interior do estado, fortalecendo assim a base aliada e garantindo os votos necessários para que Rui Palmeira disparasse na região. Rodrigo Cunha, do PSDB, é uma das possibilidades, mas ninguém garante que uma chapa puro sangue seria a ideal nesse processo eleitoral.

Até o dia 7 de abril muita coisa pode acontecer sobre as eleições de outubro no âmbito da oposição.  E aí estaria inserida a decisão de Rui Palmeira, que pode sair candidato ou resolver continuar como prefeito de Maceió.

Até lá muita água vai correr por baixo da ponte.

Opção para vice

Entre as especulações de um nome para vice de Rui Palmeira, surgiu até a da prefeita de Campo Alegre, Pauline Pereira, que tem realizado um trabalho no município digno de elogios e referência na região. Mas só especulação. O nome do vice permanece em segredo.

De fora

Parece que desta vez o vice-governador Luciano Barbosa não será mais o candidato da chapa de Renan Filho. Trabalha, por baixo dos panos, para uma candidatura a deputado nas próximas eleições. O nome da deputada Jó Pereira aparece como um dos que pode formar na chapa do governador.

Vídeo 

requentado

Um vídeo que circulou na internet sobre uma discussão que teria ocorrido entre o prefeito de Murici e JHC é muito velho. Isso vai fazer pelo menos uns quatro anos. Isso mostra o que a política pode aprontar nesses meses que antecedem as eleições de outubro.

Muito complicado

Dificilmente o deputado Ronaldo Lessa topará disputar uma eleição majoritária para o Senado, embora esteja bem nas pesquisas que aparecem por aí. Ele teria que brigar com os Calheiros, deixar o governo e fazer uma carreira solo. Outro problema é que, nas pesquisas, quem vota em Ronaldo não votaria em Renan.

Sem segurança

A candidatura de Maurício Quintella ao Senado ainda é coisa longe de acontecer. Com uma reeleição garantida e tendo pesos-pesados na disputa pelas duas vagas, o ministro dos Transportes pode ficar a ver navios. Terá que superar Benedito de Lira e Renan Calheiros e ainda por cima Marx Beltrão, o que parece não ser coisa tão fácil de acontecer.

A dúvida

Com o desenrolar dos acontecimentos, analistas políticos ainda não dão como certa uma candidatura ao Senado de Maurício Quintella e Marx Beltrão. Os números divulgados por aí fortalecem a reeleição de Benedito de Lira e Renan Calheiros. Raposa velha na política, Maurício não costuma dar tiro no escuro. Só vai se tiver mais de 90% de chances.

Fica onde está

O deputado Ronaldo Lessa está arquivando seu projeto de disputar uma vaga para o Senado. Parece que vai tentar novamente a reeleição. Um dos problemas de Lessa é o financiamento de uma campanha majoritária.

Reflexo de crise

A recuperação judicial da Cooperativa dos Usineiros, que inclui aí a Copertraining e cerca de sete usinas e que está sob investigação do Ministério Público, pode trazer sérios prejuízos para o estado de Alagoas. Com o fechamento destas indústrias depois de circular o dinheiro da safra passada, poderão aparecer novos bolsões de pobreza com milhares de pessoas migrando para a capital.

Gato por lebre

Anos atrás, alguns empresários compraram usinas e deram o calote. Alguns usineiros ficaram sem dinheiro e sem as usinas. O rolo é grande no empresariado açucareiro de Alagoas.

Fortalecido

Com o fechamento da Usina Cachoeira do Meirim, o grupo que saiu fortalecido foi o da Usina Santo Antônio. As canas ainda existentes passaram a ser moídas por essa indústria, enquanto os ex-donos da Cachoeira investiram no plantio do eucalipto para atender as empresas de celulose.

Evento político

1Mais uma vez os políticos esqueceram os trabalhadores do porto, os sindicatos e os agentes de navegação quando assinaram o contrato de dragagem do Porto de Maceió. Por lá apareceram apenas representantes de dois sindicatos – são cinco – e pronto. Insatisfeitos, operadores portuários sequer deram o ar da graça, irritados com a indiferença com que o administrador Gustavo Abdalla trata a categoria.

2O governador Renan Filho, mesmo sendo uma obra federal e que tanto tem criticado o presidente Michel Temer, não perdeu a oportunidade de estar presente, o mesmo acontecendo com Marx Beltrão, prefeitos e vereadores de diversos municípios. Ano de eleição é assim.

Mano vem aí

O ex-governador Manoel Gomes de Barros volta às origens e é candidatíssimo a deputado estadual. Homem íntegro e com relevantes serviços ao estado de Alagoas, Mano sairá candidato pelo PP e com amplas chances de voltar à Casa de Tavares Bastos, onde já foi presidente.

Ampliação

Hospital referência em Maceió, o Arthur Ramos vai iniciar nos próximos dias uma ampliação para a oferta de mais leitos. Com equipamentos de última geração e um serviço laboratorial que funciona 24 horas, o hospital deve oferecer mais 30 leitos e diminuir a deficiência existente na capital.

Imprudência

Com um sistema de sinalização moderno, a CBTU lamenta a imprudência de determinados motoristas em não atender os avisos para evitar acidentes. No mais recente, na última segunda-feira, o motorista fez uma conversão inapropriada e terminou em tragédia. Que todos observem as sinalizações horizontais, sonora e visual para evitar acidentes. O trem, de acordo com o Código de Trânsito, tem prioridade na sua locomoção.

Cadê o dinheiro?

Mesmo com a venda de duas unidades industriais de Minas Gerais, os ex-trabalhadores do Grupo JL ainda não viram a cor do dinheiro de suas indenizações. Esperam que o administrador da Massa Falida cumpra com suas obrigações. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia