Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 961 / 2018

06/03/2018 - 11:23:02

SAÚDE MENTAL

Não é ...

 Todo mundo já ouviu ou viu uma pessoa se queixando de dor aqui, dor acolá e a pessoa sempre está “bem” fisicamente, mas sempre reclamando de “dores”. São as pessoas que sofrem de hipocondria, ou seja, ela acha que tem uma “doença grave” física. E a toda hora toma algum tipo de medicamente para não ficar “doente”.

Não é ... II

O transtorno se caracteriza pela ansiedade ou pelo medo de ter uma doença grave. Ou pela preocupação constante de que a qualquer momento ela poderá ter uma confirmação de alguma doença grave.

Não é ... III

Na verdade, a pessoa apresenta um transtorno psicológico ou vários conflitos consigo mesma e apresenta vários sinais de que “está doente.” Mas não está doente fisicamente. Até os exames clínicos apresentam que a pessoa não tem qualquer tipo de agravo, mas ela continua “acreditando” que tem alguma doença grave.

Não é ... IV

Qualquer batimento cardíaco mais acelerado, por exemplo, a pessoa interpreta como que “está doente” e que pode “até morrer”. Na vida, ela se importa apenas com as possíveis doenças que podem adquirir.

Não é ... V

... Não é uma doença física, mas é um transtorno mental e precisa de tratamento, via psicoterapia. O tratamento passa pelo conhecimento de si mesmo de que no seu dia a dia há muitos sentimentos de conflito. Dependendo do grau da ansiedade e de depressão, o psicólogo pode indicar um psiquiatra para, se for o caso, ser ministrado ansiolítico e antidepressivo. 

Ansiedade

A pessoa não consegue se desligar das tarefas; está sempre cansada; tem pesadelos e muitas preocupações; não consegue fazer as tarefas do dia a dia; sempre com pouco tempo; não toma decisão; questiona a sua própria capacidade; fica sem controle e tem receio de procurar ajuda. Estes são alguns dos sintomas da ansiedade.

Ansiedade II

De acordo com o Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 25% da população, em uma determinada fase da vida, vai sofrer de ansiedade. Mas o problema tem solução se a pessoa estiver consciente de que precisa de ajuda. Muitas vezes a pessoa tem resistência a um tratamento psicoterápico ou desconhece de que está com ansiedade.

Ansiedade III

Para a Psicanálise, a ansiedade é muito frequente na população e é uma neurose. O transtorno é mais frequente nas mulheres e o grau de sofrimento passa pela questão familiar, social, sexual, profissional e estado mental.

Ansiedade IV

A pessoa conserva razoavelmente a integração da autoestima, mas apresenta alguns sinais físicos, como: taquicardia (aceleração dos batimentos cardíacos), dispneia (falta de ar), “bola” no peito; sensação de medo; de morrer; enlouquecer; acha que vai ocorrer uma tragédia. Ela pode, também,  apresentar excesso de atividade sexual.

Ansiedade V

A pessoa também pode apresentar alguns comportamentos como:  timidez, Isolamento e pensamentos negativos. Geralmente ela tem pensamentos voltados para o futuro, exageradamente, e que algo catastrófico “pode acontecer” e por esse motivo não sai de casa, não vai a festa e outras atividades sociais.

Ansiedade VI

A origem do transtorno pode ser genética, mas os estímulos ambientais estressantes como, por exemplo, pressão no trabalho; na escola/faculdade (provas, TCC, narrativa), também pode ser causas de origem do transtorno.

Ansiedade VII

Um comportamento que geralmente ocorre com  pessoa que apresenta o transtorno é o de evitação, ou seja, evita enfrentar o problema. Mas esse comportamento só vai potencializar a situação. Portanto é preciso enfrentar e, com psicoterapia, superar.

Ansiedade VIII

As redes sociais “impõem” que a pessoa sempre apresente um bem-estar geral, mas isso nem sempre é alcançável e é natural que em determinado momento da vida a pessoa apresente alguns sinais de ansiedade, o que é extremamente natural. O sofrimento não é evitável e sim controlável. Saúde mental não significa ausência de sofrimento e sim conscientização e superação do sofrimento.

Ansiedade XI

Para o aspecto do comportamento da timidez, até existe “curso” para “tirar” a timidez. Não tira. Há também do mercado farmacêutico muitos medicamentos que dizem “curar” a ansiedade, o luto, a depressão, e até a baixa libido. Não cura. Qualquer tratamento deverá passar por psicoterapia. 

Ansiedade X

Se não tratado devidamente, ou seja, se a pessoa não procurar a ajuda de um profissional da área de psicologia, já nos primeiros sinais do surgimento da ansiedade, ela pode desencadear outro processo mais grave da ansiedade que é o Transtorno do Pânico, que, dentre outros sinais, a pessoa pode adquirir comportamentos tipo: medo morrer e de medo de ter medo, o que pode dificultar, mais ainda, o processo de controle do transtorno, precisando,  nesse caso, do uso de medicamento ministrado por psiquiatra.   

Invenção e 

responsabilidade 

(...)“Quando pessoas geniais como o criador da Tesla, Elon Musk, preconiza que talvez amanhã sejamos cachorros labradores da IA, sigla de inteligência artificial, o psicanalista saberá propor além de uma clínica do Freud explica, uma clínica do Freud implica, implica o sujeito na sombra que se renova frente a qualquer avanço tecnocientífico. Não se responde a isso com medo, mas com IR: Invenção e Responsabilidade.(...) (Jorge Forbes, psicanalista)

http://www.jorgeforbes.com.br/br/artigos/efeitos-das-tecnocincias-nas-famlias.html

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia