Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 957 / 2018

30/01/2018 - 15:55:24

Alagoas tem serviço de prostituição mais barato do Brasil

Prostitutas vêm a Maceió atraídas pelas praias e dinheiro

José Fernando Martins [email protected]

Um levantamento feito pelo site Sweetlicious.net e divulgado no dia 5 deste mês mostra que a Alagoas é o estado que oferece o serviço de prostituição feminina mais barato do país. Conforme a pesquisa, que ouviu 1.306 pessoas por meio do portal, em terras alagoanas, contratação deste tipo de profissional pode variar de R$ 46 a R$ 100.

Dependendo do serviço que é prestado, os valores aumentam. Por exemplo, na categoria “acompanhantes de luxo”, a capital Maceió não é a última colocada. Isso porque Aracaju, em Sergipe, e Boa Vista, em Roraima, cobram abaixo da média, enquanto aqui o valor é de R$ 287 contra R$ 232 das outras duas capitais. Nessa categoria, o custo médio no Brasil ficou em R$ 306,50.

Além dos valores cobrados por acompanhantes de luxo, o site também questionou quanto se paga em cada unidade federativa para desfrutar da companhia de prostitutas em bordel e aquelas que trabalham nas ruas. A pesquisa intitulada “Quanto custa uma prostituta na sua cidade?” obteve 766 respostas no que diz respeito a categoria acompanhante de luxo, 771 respostas no quesito prostituta de bordel e 662 no prostituta de rua. 

Os resultados foram obtidos consultando pessoas de todos os 26 estados e do Distrito Federal. No ranking dos valores pagos pelos serviços de prostitutas de bordel, o custo mais baixo é Alagoas, onde a contratação sai por R$ 98. A média no país ficou em R$ 138,50. O Espírito Santo ficou no topo dessa categoria, no qual o programa sai a R$178,50. 

Quando o local de trabalho das profissionais do sexo é a rua, o estado onde a contratação é mais lucrativa é Tocantins (R$114,00), seguido do Maranhão (R$107,50), Espírito Santo (R$104,50), Mato Grosso do Sul (R$100,00) e Mato Grosso (R$ 97,50). Já em Alagoas, que também fica em última posição, se cobra cerca de R$ R$ 47,50, bem abaixo da média do país que é de R$ 84,50.

Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, é a capital brasileira com o custo médio mais caro por prostituta de bordel. Belo Horizonte, em Minas Gerais, é a mais barata, com o valor médio de R$77. Cuiabá, em Mato Grosso, é a capital brasileira com o custo médio mais caro por acompanhante de luxo chegando ao valor de R$ 583.

Ainda de acordo com as pessoas ouvidas, o melhor jeito de contratar serviços de prostituição é procurando boates, os famosos puteiros, e também através de sites. É importante ressaltar que estes valores foram obtidos por meio de uma pesquisa com pessoas de diversas localidades de todo Brasil e de acordo com suas experiências pessoais. Não é válido como tabela de valores para acompanhantes de luxo e prostitutas de bordel e rua.

Maceió, cidade lazer 

Carla Martins (nome fictício) é de Goiânia, mas viaja o Brasil para fazer programas. Espera o contato de clientes em seu apartamento alugado na orla de Maceió. É a terceira vez que vem a Alagoas em busca de clientes. Questionada sobre os valores pagos pelos alagoanos, Carla confessa que não é dos maiores. 

“Aqui ainda é um clima interior, são os mesmos clientes e, por isso, acabo ganhando pouco. Nada supera São Paulo para ganhar dinheiro. A quantidade de programas é bem maior e nunca falta trabalho”, contou.

Sarah Monique também está de passagem em Maceió. Ambas garotas de programa têm respostas semelhantes sobre a capital alagoana. 

“Meu cachê cai praticamente 50% quando estou em Alagoas. Em São Paulo eu cobro até R$ 500. Ao vir para cá sei que terei que cobrar o cachê em torno de R$ 250. Mas, o melhor daqui é a qualidade de vida. Os custos com aluguel e alimentação são baixos e acaba compensando. Sem contar os clientes, que na maioria são turistas e políticos do interior do estado”, explicou. 

No Nordeste, Monique já passou por Recife (PE) e Fortaleza (CE). Mas, mesmo ganhando menos, prefere Alagoas. “Por causa das praias, com certeza. Me sinto segura aqui perto da orla. Em outras capitais vivo com medo”.  Carla diz a mesma coisa. “Maceió, para mim, é minhas férias. Venho aproveitar o mar e aproveito ganho dinheiro também. Volto sempre que posso”. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia