Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 957 / 2018

30/01/2018 - 15:48:36

Série baseada na Operação Lava Jato estreia em março

Produção da Netflix retrata maior esquema de corrupção já descoberto no Brasil

Sofia Sepreny Estagiária sob supervisão da Redação
Cenas da nova série produzida pela Netflix e cuja trama é baseada na Operação Lava Jato

O maior escândalo de corrupção do país volta ao foco das telinhas. Desta vez a Operação Lava Jato dá o tom da nova série brasileira original da Netflix, O Mecanismo. Dirigida por José Padilha, famoso pelos filmes Tropa de Elite, por denunciar casos de corrupção e por mostrar a realidade brasileira, a série teve seu trailer divulgado na última semana e estreia no dia 23 de março.

A série ficcional que começou a ser gravada em maio de 2017, é estrelada por Selton Mello. Inspirada na atual situação política do país e nos fatos que desencadearam o maior escândalo de corrupção do Brasil, a trama revela como investigadores desvendam um dos maiores esquemas de corrupção da história e apresenta as consequências para todos os envolvidos.

Marco Ruffo (Selton Mello) é um delegado aposentado da Polícia Federal obcecado pelo que está apurando. Junto com sua parceira e agente federal Verena Cardoni (Caroline Abras) eles investigam o criminoso Roberto Ibrahim (Enrique Diaz), aparentemente inspirado no doleiro Albert Youssef, conhecido após o escândalo do Banestado e pela Operação Lava Jato por crimes de lavagem de dinheiro.

O diretor da série vem há tempos falando sobre a corrupção que envolve a nação.

 “Na base do sistema político brasileiro opera um mecanismo de exploração da sociedade por quadrilhas formadas por fornecedores do Estado e grandes partidos políticos. O mecanismo opera em todas as esferas do setor público: no Legislativo, no Executivo, no governo federal, nos estados e nos municípios”, relatou Padilha em um artigo publicado no jornal O Globo. 

Filmada no Rio de Janeiro, em Curitiba, Brasília e São Paulo, O Mecanismo conta ainda com Lee Taylor, Antônio Saboia, Jonathan Haagensen, Alessandra Colasanti, Leonardo Medeiros e Susana Ribeiro. A primeira temporada conta com 8 episódios e, apesar de ser uma ficção, tem seu roteiro e título inspirados no livro Lava Jato – O Juiz Sérgio Moro e os bastidores da Operação que abalou o Brasil, de Vladimir Netto. 

Padilha explica em seu artigo que o mecanismo opera no Executivo via superfaturamento de obras e de serviços prestados ao Estado e às empresas estatais. No Legislativo opera via formulação de leis que dão vantagens indevidas a grupos empresariais dispostos a pagar por elas. 

O roteiro da série foi escrito por Elena Soarez e tem direção de Felipe Prado, Marcos Prado e Daniel Rezende. A Zazen Produções, que ajudou Padilha em Tropa de Elite 1 e 2 e Paraísos Artificiais apoia a criação.

Essa não é a primeira série brasileira da Netflix. Em novembro de 2016, a plataforma estreou o seriado 3%. 

Um filme que fala da Lava Jato foi lançado nos cinemas em 2017. Polícia Federal – A Lei é Para Todos também foi uma obra divulgada como um retrato da história da uperação. O filme apresenta o início do processo até a condução coercitiva do ex-presidente Lula, enquanto desencadeia uma série de investigações sobre a corrupção no Brasil.

A Lava Jato é a maior operação contra corrupção no país e foi desencadeada em 2014. Nela estão envolvidos vários políticos — incluindo o atual presidente do Brasil, Michel Temer, e o ex-presidente Lula — além de empresas como a petrolífera Petrobras, JBS e as construtoras Odebrecht e Andrade Gutierrez.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia