Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 957 / 2018

28/01/2018 - 06:36:56

Placas atrapalham circulação de pedestres

Propaganda irregular também tira atenção de motoristas

Bruno Fernandes Estagiário sob supervisão da Redação
Pedestres têm que desviar de placas ao andar em calçadas sem acessibilidade; condutores são distraídos pelo excesso de informação - Foto: Bruno Fernandes

A Avenida Vereador Dário Marsíglia, no Cleto Marque Luz, na parte alta de Maceió, é o retrato fidedigno do pandemônio que é aquela área populosa da cidade. O emaranhado de fios e cabos elétricos se misturam em meio a 55 placas de publicidade, banners, cavaletes e outros engenhos afixados e espalhados pela calçada ao longo de 2km de extensão tornando difícil a locomoção e obstruindo a passagem de pedestres.

O problema é agravado pelo fato de grande parte dessas peças publicitárias serem colocadas em calçadas e canteiros centrais das próprias lojas. O EXTRA foi ouvir os pedestres da localidade, e constatou a insatisfação de quem diariamente utiliza aquela via pública da cidade.

A prática é feita por vários segmentos lojistas, do material de construção a alimentos e passando pelos de fios e outros materiais elétricos. “Acho que isso é um grande desrespeito, fica difícil passar pelas calçadas, tenho que ficar descendo para pista sempre”, relatou uma senhora que não quis se identificar por morar na região.

Outra dificuldade para quem utiliza frequentemente aquela via da cidade é enfrentada pelos motoristas. Paralelo ao trânsito complicado de uma via considerada movimentada da cidade, os condutores dizem lutar para desviar a atenção das placas ou qualquer outro anúncio publicitário instalado no canteiro central ou nas calçadas.

“Ou eu presto atenção no trânsito, ou presto atenção nas placas das calçadas”, diz o motorista Jacinto Santos. “Não há necessidade de colocar tanta placa, já tem a propaganda no topo das lojas; para quê colocar também no meio da calçada e atrapalhar os pedestres”?, indaga.

APREENSÃO

Segundo o diretor de Convívio Social da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social, coronel Adilson Bispo, a quantidade excessiva de placas publicitárias em vias públicas é um grande problema para o órgão. “Isso é um problema sério na cidade e estamos sempre tentando resolver e conscientizar os comerciantes”.

Ainda de acordo com o diretor, toda semana é realizada uma operação para fiscalizar a implantação de placas em vias públicas. Caso o comerciante não possua autorização da secretaria, o material é apreendido e levado para o depósito do órgão, sendo retirado apenas com o pagamento de multa no valor equivalente ao tamanho do objeto apreendido. Porém, muitos comerciantes acabam preferindo produzir novas placas e colocar nos mesmos locais, ao invés de recolher. “Todas as semanas apreendemos materiais, mas os donos dificilmente vão buscar”, relata Adilson Bispo. 

O cidadão ou empresa que deseja colocar placas publicitárias, faixas, realizar pinturas em muros ou fazer entrega de panfletos precisa estar de acordo com a lei municipal de poluição visual nº 4.954. Para isso deve solicitar a autorização da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) antes de veicular qualquer propaganda em espaços públicos de Maceió.

Para o procedimento, basta protocolar um requerimento na sede do órgão, descrevendo qual o tipo de equipamento ou atividade será desenvolvida, endereço completo do local e o período de exibição.

No caso de pessoas físicas, são exigidos cópias e originais de RG, CPF e comprovante de residência. Para empresas, devem ser anexados CNPJ e comprovante da TLFLIF (Taxa de Localização e Funcionamento). A medida visa cumprir a lei que estabelece critérios para evitar a poluição visual, preservando os bens arquitetônicos da cidade.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia