Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 955 / 2018

16/01/2018 - 11:10:30

Sururu

Da redação

Chesf enrola-se nas

turbinas de Xingó

1 - Na madrugada de sexta-feira para sábado, 6, uma     inesperada enchente no São Francisco pegou de surpresa a população de Piranhas e arredores.

2 - O nível do Velho Chico subiu 8 metros, inundou parte da cidade e fez grandes estragos rio abaixo, até o distrito de Entremontes.

3 - Pelo caminho, naufragou barcos atracados às suas margens, danificou instalações turísticas e deixou um rastro de destruição e prejuízos ainda não calculados. 

4 - Na manhã do sábado – em meio aos estragos e prejuízos provocados pelas águas - ninguém na cidade sabia explicar as razões da repentina elevação do rio. 

5- Só no final da tarde a Chesf divulgou nota atribuindo a enchente ao fato de haver colocado em operação uma segunda turbina de Xingó para aumentar a geração de energia. 

6  - A nota mais confundia do que explicava. Falava em suprir déficit na geração de energia eólica, que – acredite se quiser – duas horas depois estava resolvido. E ninguém entendeu nada. 

7  - Na terça-feira, 9, o diretor de Operações da Chesf, João Henrique de Araújo Neto, informou que o problema foi provocado pelo rompimento de uma das comportas de Xingó e que não houve tempo para avisar a população. 

8 - Entre uma versão e outra a Chesf divulgou ainda que Penedo havia pedido um aumento na vazão do rio para viabilizar a festa de Bom Jesus dos Navegantes, marcada para este domingo, 14. 

9  - Essa informação – desnecessária e fora do contexto – levou à suspeita de que alguém se enganou e abriu as comportas de Xingó uma semana antes da festa de Penedo. O que seria patético. 

10 - Após manter contato com o diretor João Henrique, a coluna conclui que houve um acidente operacional e a Chesf tentou escamotear o fato. Não conseguiu e terminou se enrolando entre turbinas e comportas de Xingó. 

É melhor prevenir

O incidente de Xingó deve servir de alerta para governadores e prefeitos do Vale do São Francisco. Depois da construção de barragens ao longo do Velho Chico, as áreas de alagamento foram ocupadas pelas populações. As barragens estabilizaram as cheias do rio, mas nesse novo cenário, não evitarão a possibilidade de uma catástrofe. 

Rosinha sem Adefal 

A deputada federal Rosinha da Adefal não conseguiu uma Adefal para chamar de sua. A deputada perdeu feio a eleição na entidade, realizada na terça,9.

Seu candidato a presidente, Pedro José de Lima Neto, foi derrotado por João Ferreira Lima pelo elástico placar de 403 votos contra 132. 

Dos mais de 2 mil associados, apenas 598 votaram nessa última eleição, registrando o maior índice de abstenção na história da Adefal. 

Agora, quem manda no pedaço é a vereadora Tereza Nelma, que apoiou a reeleição de Ferreira. 

Destino de Rui

O prefeito Rui Palmeira está costurando os arranjos políticos para lançar sua candidatura ao governo de Alagoas. Deve compor a chapa majoritária com Biu de Lira e Téo Vilela ao Senado. Se Vilela desistir, pode entrar Alfredo Gaspar de Mendonça Neto ou até mesmo Marx Beltrão. 

Judson Cabral

Único petista de credibilidade em Alagoas, o ex-deputado estadual Judson Cabral trocou o PT pelo PDT de Ronaldo Lessa. Radicais petistas podem até acusá-lo de infidelidade, mas se existe traição, o único traído nessa história é o próprio Judson.

Indústria            da multa 

Ao se transformar em indústria de multas, a SMTT de Maceió está fazendo escola no estado. Em Arapiraca, o órgão de trânsito local também arranja qualquer desculpa para justificar o festival de multas.

Em Maceió, o infeliz motorista que for visto coçando a orelha é multado por “uso de celular ao volante”. Se olhar para os guardas também é multado por “balançar a cabeça, desviando a atenção do trânsito”. 

Em Arapiraca, a SMTT está multando quem dirigir olhando para os lados. Do boleto consta como multa leve, no valor de R$ 88,38 e 3 pontos na carteira de habilitação. A justificativa é no mínimo ridícula: “Condutora olhando para os lados”. 

Te cuida, Vilela

Vem aí mais confusão para Téo Vilela, desta vez envolvendo a doação irregular de terrenos para 4 indústrias no polo industrial de Marechal Deodoro: Cimento Zebu, Lè Mix, E-Paletes e Portobello, esta última com ações na Bolsa de Valores. O rebu envolve atos ilegais do ex-governador e pode até mandar para a cadeia alguns tucanos de alta plumagem. 

O dilema de                  Marx Beltrão

1 - As denúncias de improbidade administrativa contra o ministro Marx Beltrão certamente afetarão uma possível candidatura ao Senado, mas dificilmente influenciarão sua reeleição à Câmara dos Deputados. 

2 - A menos que ele seja condenado em segunda instância antes das eleições, o que o tornaria inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Mas quem conhece os descaminhos da Justiça brasileira sabe que isto dificilmente ocorrerá. 

3- Marx Beltrão tem se defendido dessas acusações atribuindo-as a interesses contrariados de seus adversários políticos.  O mesmo argumento foi usado por Téo Vilela ao ser apanhado pelo braço alagoano da Lava Jato. 

4- A pré-candidatura de Marx Beltrão ao Senado incomoda não só os senadores Renan Calheiros e Biu de Lira - que disputarão a reeleição - mas também o ex-governador Téo Vilela, que alimenta o sonho de voltar ao Senado.

5 - Nesse cenário, todos são suspeitos de trabalhar para naufragar a candidatura dos adversários. Inclusive o próprio Marx Beltrão, que usa sua condição de ministro para fortalecer-se politicamente. 

6 - Acuado por vários processos de improbidade, Marx Beltrão perde força e discurso para disputar o Senado, mas ainda tem capital político para barganhar apoios que garantam sua reeleição de deputado federal. 

Raimundo Tavares

O Conselho Superior da Procuradoria-Geral do Estado, órgão máximo de decisão da PGE, anulou o processo que transformava o ex-deputado Raimundo Tavares em procurador de Estado sem concurso público.

Avalizado pelo procurador-geral, Francisco Malaquias, o imbróglio jurídico, que aguardava decisão final do governador Renan Filho, deve agora ser despachado para a lata do lixo. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia