Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 954 / 2018

09/01/2018 - 15:07:16

Sururu

Da redação

Escândalo 

à vista 

1 – A juíza Maysa Cesário Bezerra, da 24ª Vara de Família da Capital, enrolou-se ainda mais no processo de um deputado federal de Alagoas, já condenado em 2ª instância por não pagar pensão de alimentos.

2 – Desta vez a magistrada foi denunciada junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por favorecer o parlamentar nos crimes de ocultação de patrimônio e sonegação fiscal. 

3 – É a quarta representação contra a juíza alagoana junto ao CNJ, que recebeu as denúncias e deve instaurar processo administrativo para apurar o caso, que tem cheiro de escândalo.

4 – Denunciado por descumprimento de sentença, o deputado é acusado de tentar esconder seu patrimônio milionário, avaliado em mais de R$ 20 milhões. E mais grave: não foi declarado à Receita Federal nem ao TSE.   

5 – As denúncias também foram levadas ao conhecimento do Corregedor-Geral de Justiça do TJ-AL, desembargador Paulo Lima, que já mandou  investigar os fatos.

Chefe de quadrilha

 “Os brasileiros com vergonha na cara não podem aceitar que o chefe da quadrilha, que arruinou o país, seja candidato ao mais alto cargo da República, se valendo de chicanas jurídicas. Isso é um deboche, um murro na nossa cara”.

O desabafo é do general Augusto Heleno, em artigo publicado no blog Diário do Poder, onde defende a agilização dos processos contra Lula e sua quadrilha.

Senador Aldo Rebelo

Se não for candidato a vice-presidente da República na chapa de Geraldo Alckmin, o alagoano de Viçosa Aldo Rebelo, 62, irá disputar uma vaga de senador por São Paulo, onde reside há quase 40 anos. Filiado ao PC do B desde 1977, Rebelo trocou o partidão pelo PSB no ano passado e é tido como liderança histórica no campo progressista.

Aldo Rebelo foi ministro da Defesa, da Ciência e Tecnologia, do Esporte e das Relações Institucionais nos governos de Lula e Dilma. Também foi deputado federal por 6 mandatos e presidiu a Câmara de setembro de 2005 a janeiro de 2007.

Entre a cruz e a espada

A decisão de transformar o ex-deputado Raimundo Tavares (C) em procurador de Estado será do governador Renan Filho.

Se o nomear, abrirá guerra com a Associação dos Procuradores do Estado, que quer Raimundão bem longe da PGE. Se não o fizer, terá problemas com o aliado político, que tem alguns votos para oferecer em troca do cargo.

Além dos votos, Raimundo Tavares conta com dois aliados de primeira hora: o procurador-geral do Estado, Francisco Malaquias, e o ex-presidente da OAB-AL, Omar Coêlho de Mello, seus advogados nessa causa inglória.

Boa surpresa

O prefeito de Rio Largo, Gilberto Gonçalves, quebrou todas as expectativas negativas em torno de seu mandato. O que seria mais do mesmo, vem se revelando um dos gestores mais ativos dessa última safra de prefeitos. Aos poucos, Rio Largo vai ganhando cara nova e deixando para trás a fama de cidade violenta, comandada por prefeitos corruptos.

Renan X Rui

A grande expectativa nesse início de ano eleitoral gira em torno do prefeito de Maceió. Se Rui Palmeira sair candidato ao governo do Estado, Renan Filho terá um forte adversário, com chances reais de comandar Alagoas. Sem Rui, Renan pode até comprar o terno para a festa da reeleição. O embate eleitoral é salutar e faz bem à democracia.

Viadagem global

“É viado às 6 da tarde, é viado às 8 da noite, é viado às 10 da noite. É muito viado. Botaram viado até em filme de cangaceiro. Será que tem tanto viado assim?”.

O desabafo é do apresentador do SBT, Ratinho, ao criticar as novelas da Globo que, segundo ele, estariam com “exagero de viado”. 

Pito em AA

Ao criticar a pressa na aprovação do Orçamento do Estado, o deputado Antônio Albuquerque levou um puxão de orelhas do colega Chico Tenório: “Sua obrigação é ficar na comissão e não em seu gabinete mandando recado”. Tenório é um dos poucos deputados a encarar os desaforos de Albuquerque.

Jornal do Brasil

Após 8 anos fora das bancas, o centenário Jornal do Brasil voltará a circular no dia 25 de fevereiro. Fundado em 1891, o velho JB foi por décadas uma referência no jornalismo brasileiro e em 2010 sucumbiu sob o peso das dívidas e  brigas entre os herdeiros do que foi o maior jornal do Brasil. 

Jornal EXTRA

A Câmara de Maceió – através da vereadora Tereza Nelma – aprovou moção de congratulação pelos 19 anos do jornal EXTRA. Lembrou que o semanário “preserva o pluralismo de opiniões e defende sua autonomia nas mais diversas áreas da administração pública”. A equipo do jornal agradece as homenagens. 

Martins no CNJ

O ministro do STJ, Humberto Martins, será o próximo corregedor Nacional de Justiça e deve ser empossado em agosto. Se até lá o CNJ não julgar os processos contra o desembargador Washington Luiz e o juiz Léo Denisson, a história pode até mudar de rumo. 

Como é do conhecimento público, Humberto Martins é do ciclo íntimo dos dois magistrados alagoanos e há muito vem atuando nos bastidores do poder, em Brasília, para salvar os amigos de toga. 

Téo Vilela 

O ex-governador Téo Vilela vive o dilema de bem cuidar de sua defesa nas ações da Lava Jato, ou da campanha eleitoral para  disputar uma das duas vagas de senador. 

Além dessa tarefa inglória,Vilela terá ainda que se preocupar com o deputado federal Pedro Vilela, seu sobrinho, cuja atuação na Câmara pouco ajuda em sua reeleição. 

Com todas essas arestas e mais os custos de uma disputa  majoritária, é quase certo que Vilela desista do sonho de voltar ao Senado. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia