Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 951 / 2017

19/12/2017 - 16:43:52

Pesquisas mentirosas registradas nos tribunais

JOSÉ ARNALDO LISBOA MARTINS

Nos meus artigos, eu já falei três vezes sobre pesquisas eleitorais, muitas delas feitas com o fito de bajular candidatos ou quando compradas por partidos e empresas de pesquisas desonestas. Nesses artigos, eu já chamei a atenção de vocês, meus leitores, sobre as pesquisas que são feitas pela CNI-Confederação Nacional da Indústria, nas quais o Lula e a Dilma sempre tiveram percentuais mentirosos e exagerados. Eu nunca soube que a CNI soubesse fazer pesquisas eleitorais ou fosse uma empresa de pesquisas. Como estudante de engenharia e já como engenheiro, sempre tive simpatia pela estatística, a ponto de ter ido fazer um estágio na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, logo que me aposentei no DER-AL. Com os conhecimentos obtidos, resolvi criar a microempresa DICA´S, para fazer pesquisas eleitorais, de mercado, sociais e de opinião e, ela foi a minha ocupação profissional durante 19 anos. 

Um meu amigo, Dr. Osvaldo Gomes de Barros Filho, me enviou uma pesquisa, pelo whatsapp, dando vitória para Bolsonaro em todos os estados do Brasil. Com minha experiência em pesquisas eleitorais, em dezenas de municípios de Alagoas, Sergipe e Pernambuco, eu li os resultados e vi que eles não retratam a realidade. Primeiro porque ainda estamos muito longe das eleições, sem candidatos registrados, para que pudessemos fazer deduções. Segundo porque os números desta pesquisa mentem descaradamente. Dizem que foram ouvidas 2.214 pessoas, em todo Brasil, nos 27 estados, nos 5.547 municípios, durante 2 dias da pesquisa. Numa estatística elementar, devem ter sido “ouvidas”, apenas, 82 pessoas em cada uma das capitais. Ora, só São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, juntas, possuem mais de 20 milhões de habitantes. Outro absurdo é que teriam sido necessários 27 jatinhos para que, em 2 dias, fossem ouvidas as 28 pessoas das capitais. Sabem vocês que alguns institutos fazem pesquisas por telefone, quando as pessoas estão em casa, nas suas novelas. Assim, inventam os resultados que bem querem. Minha empresa nunca fez pesquisas por telefone. As 2.214 pessoas ouvidas em apenas 2 dias de pesquisa teriam que ser transportadas em 27 jatinhos, capital a capital. E para que o TSE exige que as pesquisas sejam registradas, se o voto é secreto e ninguém pode saber em quem cada pessoa votou?  O TSE teria que ir de casa em casa, ouvir novamente todos os eleitores, para saber se eles, realmente, votaram e em quem votaram. Um absurdo! Nosso sistema eleitoral é uma bagunça. Além de tudo, um programa de computador pode modificar, internamente, um resultado, daí outros países não confiarem nas urnas brasileiras. Pesquisa mentirosa, “nas barbas dos tribunais”!   

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia