Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 949 / 2017

04/12/2017 - 19:50:24

Sururu

DA REDAÇÃO

Indústria da multa 

1 – Os policiais do Batalhão de Trânsito que “fiscalizam” as rodovias estaduais continuam agindo às escondidas, como se fossem margi-nais, foras da lei. 

2 – Agentes de trânsito devem atuar ostensivamente para inibir motoristas mais afoitos e não ficar intocados às margens das rodovias à espreita de possíveis infratores.

3 – Essa prática se tornou freqüente depois que as multas de trânsito ganharam valores exorbitantes para os padrões brasileiros.

4 – O sórdido expediente só alimenta a suspeita de que os órgãos de trânsito estão mais preocupados em aumentar a arrecadação do que orientar os motoristas.   

5 – O contrário seria ainda mais grave, pois levantaria a suspeita de corrupção desses agentes da lei, que estariam agindo em causa própria.   

Fraude homologada

Na tentativa de escapar da prisão por não pagar pensão de alimentos dos filhos, um deputado federal de Alagoas conseguiu convencer a 24ª Vara de Família a homologar um acordo fraudulento que desmoraliza a própria Justiça. A tramoia foi comunicada à Corregedoria-Geral de Justiça do TJ-AL e certamente desembarcará no Conselho Nacional de Justiça.

Perigo à vista 

O leilão do Terminal de Álcool de Maceió, da estatal Transpetro, dia 7, faz prosperar a suspeita de que a privatização beneficiará distribuidoras de combustíveis, muito influentes e... endinheiradas. Controlando os terminais, as distribuidoras poderão impor ao mercado do Nordeste o álcool podre, à base de milho e altamente poluente, que importam dos Estados Unidos sem pagar impostos e nem gerar empregos. (Coluna do Cláudio Humberto)

Tudo dominado

O controle do Terminal de Álcool de Maceió pelas distribuidoras deve ferir de morte a produção nacional de álcool, sobretudo a nordestina. Até agora, políticos e governadores de Alagoas e do Nordeste nada fizeram para evitar a venda do terminal de Maceió, apesar de nociva à região.

Prata para o TJ-AL

O Tribunal de Justiça de Alagoas ficou com medalha de prata no Selo Justiça Em Números, edição 2017 do CNJ. Já o TJ de Sergipe conquistou o lugar mais alto do pódio com o Selo Diamante, disputando entre os demais tribunais de Justiça do país.

O Selo Justiça em Números é conferido aos tribunais desde 2013, com o objetivo de fomentar a qualidade dos dados estatísticos do Judiciário, sobretudo referentes ao Relatório Justiça em Números. Este ano foram distribuídos quatro selos Diamante, 65 Ouro, 16 Pratas e três Bronze.

Taturanas condenados

Erra quem especulava que a Operação Taturana terminaria em pizza e os envolvidos na impunidade. A demora no julgamento do processo decorre da infinidade de recursos protelatórios, mas as primeiras condenações já começam a surgir.

Primeira leva

Os deputados estaduais Isnaldo Bulhões e Cícero Ferro e os ex Dudu Albuquerque, Gervásio Raimundo, Alves Correia e Gilberto Gonçalves são os primeiros condenados.

Ninguém escapa

Outro grupo – incluindo Paulão, Cícero Almeida, João Beltrão, e outros - também foi condenado, mas eles recorreram e estão aguardando julgamento no STJ, que certamente manterá a sentença do Tribunal de Justiça de Alagoas.

Eduardo Cunha

 “O Eduardo Cunha montou esse governo e segue dando as cartas, mesmo da cadeia. Essa nomeação do Carlos Marun é um absurdo! O Temer poderia ter sido mais corajoso, tirado o intermediário e nomeado diretamente o próprio Cunha para a Secretaria de Governo”.

(Senador Renan Calheiros)

O significado              de Marum

O que significa a nomeação de Carlos Marun para o lugar de Antônio Imbassahy? Que um governo muito fraco no Congresso perdeu completamente a vergonha no toma lá, dá cá. O resto é trololó. (Diogo Mainard)

Crimes no Sertão 

A execução de Neguinho Boiadeiro, em Batalha, pode ter conexão com o assassinato, em Delmiro Gouveia, do empresário Rodrigo Alapenha, genro de Lula Cabeleira. 

Esssa é uma das hipóteses que circulam no Sertão e ainda não descartada pelos delegados que apuram o caso. 

A alegação é de que o vereador assassinado em Batalha estaria envolvido na morte do empresário em Delmiro Gouveia. 

Sonho de Verão

Durou pouco a fantasia dos petistas de assumirem a Secretaria de Educação em Alagoas. O governador Renan Filho pode ser acusado de muitas coisas, menos de irresponsável. 

Vem prá Caixa 

1 – Esta semana um cidadão amargou uma espera de 2 horas e meia na agência da Caixa da Avenida Fernandes Lima e ainda assim não conseguiu ser atendido no setor de FGTS/PIS para uma simples consulta de atualização do cadastro para liberação do pagamento do PIS. 

Dois funcionários do setor de FGTS/PIS da agência trabalhando em ritmo de operação padrão deixaram sem atendimento cerca de duas dezenas de pessoas que tiveram de retornar outro dia para passar pelo mesmo desrespeito à pessoa e à lei. Um absurdo que somente dá razão àqueles que desejam a privatização daquela casa bancária.

2   – Outro cliente depois de longa espera conseguiu receber o PIS e procurou atendimento na mesma agência da Caixa para abrir uma poupança. Tal foi sua estupefação quando a atendente lhe informou que não poderia realizar a opera-ção pois já passava das 12 horas. Instada, ela respondeu que a Caixa só abre conta poupança até o meio dia!  Não à toa a instituição passa por dificuldades. 

3 – Seria risível, não fosse absurdamente surrealista a atitude. Em pleno horário de atendimento a Caixa se recusa a receber depósito – razão da sua sobrevivência – porque certamente algum burocrata “iluminado” e preguiçoso “achou” que poderia mais uma vez vilipendiar seus clientes. Um absurdo. Com a palavra o Procon  e a superintendência da instituição.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia