Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 946 / 2017

07/11/2017 - 11:06:54

Iguais perante a lei, uma grande mentira

JOSÉ ARNALDO LISBOA

Alguns gaiatos por aí dizem muitas besteiras quando fazendo discursos ou fazendo pronunciamentos políticos. Isso acontece muito, tanto na Câmara Federal como no Senado e, também, nos palanques em vésperas de eleições. Alguns elogiam a democracia, mesmo sem saber o que ela faz em comparação com outros sistemas políticos. Muitos gostam da democracia, porque ela é um campo aberto para a corrupção, para a roubalheira ou para um escancarado “propinoduto”. Se a democracia fosse como muitos querem que ela seja, nós já estaríamos num carro atolado, sem cordas para puxá-lo. Muitos não sabem nem o que quer dizer democracia e aqui-acolá, dizem que estamos num país democrático, confundindo liberdade com anarquia, bagunça ou degeneração. 

Antes de 1988, centenas de deputados, senadores e juristas reuniram-se em clima festivo para estudarem, discutirem e aprovarem uma nova Constituição Brasileira. Queriam uma Constituição longa e cheia de palavras bonitas que impressionasse as demais nações. Depois de muita conversa bonita e de um patriotismo mentiroso, chegaram a mais de 250 artigos, muito diferente da Constituição americana, composta de apenas 7 artigos. Pois é, a nossa Constituição Brasileira é rica de artigos e foi promulgada em 1988 com muitas festas, foguetes, bandas, whiskies, cachaças, batidas e caldinhos de feijão. Depois de muitas declarações de que ela era uma “Constituição Cidadã”, a coitada ficou cheia de emendas, pois, sempre são acrescidos novos artigos. Dentre tantos, existe um deles que diz, no Art.5º. : “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”.

Ah meu Deus, que coisa linda é a nossa Constituição. Que coisa poética!!! Ela diz que “todos são iguais perante a lei”. Vamos ver se é verdade!!! Eu como engenheiro civil que sou, caso venha a cometer um crime e ser preso, tenho o direito de ficar em sala especial, por mais hediondo que tenha sido o meu crime. Posso matar 5, 7 ou 10 pessoas, mas minha “prisão especial” ficará reservada! Mesmo que eu não seja nenhuma autoridade, posso ficar numa boa. Agora, vocês imaginem um cara com “foro privilegiado”, se não é uma barbada! Imaginem as regalias para deputados, senadores e ministros. Primeiro, porque é muito difícil serem presos. Segundo, porque se forem presos, serão julgados pelos ministros do Supremo Federal, que são nomeados pelo presidente da República, amigo dos deputados e senadores e que dele dependem para aprovar o que o presidente quer. Como vocês sabem, é um ciclo vicioso, com compra de votos e pagamentos de nomeações. Iguais perante a lei, uma ova! O “foro privilegiado” é exatamente para que ninguém saia condenado. Esse artigo 5º da nossa Constituição é uma grande mentira e um motivo para gostosas gargalhadas! Vão enganar a mãe!!!

Em tempo – Meu ilustre amigo, Dr. Francis Leahy, é um dos meus leitores assíduos. Para ele, meus agradecimentos. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia