Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 945 / 2017

31/10/2017 - 09:48:54

Fechem os hospitais e postos de saúde

JOSÉ ARNALDO LISBOA

A essa altura, é provável que já tenham tocado fogo e jogado no lixo algumas investigações, inquéritos, processos administrativos ou judiciais relativos a saúde do brasileiro e aos escândalos com o dinheiro da saúde. Será que já sabem quem foram as pessoas que enterraram, no quintal, centenas de medicamentos a mando de uma autoridade da saúde? Será que já sabem quem são as pessoas implicadas na grande quantidade de vacinas e outros medicamentos comprados sem necessidade, só para darem propina aos laboratórios? Já descobriram quais foram os médicos “especialistas” e os laboratórios que fizeram cirurgias de “araque”, sem que existissem pacientes? Será que eles já receberam os “propinados cheques” para distribuírem com as quadrilhas que já tomaram conta da saúde do País?  Por que tantas vacinas sem nenhuma necessidade? Vocês não acham que já inventaram demais campanhas de vacinação, sem que haja motivo justo? E as pessoas implicadas nas mutretas vão ou não vão ser presas? E esses carros novos e importados, são de quem, hein? 

Nesta semana, foi divulgada uma matéria jornalística de televisão, bastante detalhada, sobre as situações de hospitais e postos de saúde de Alagoas. Foram ouvidas pessoas do setor de saúde, inclusive, secretários de Saúde do Estado e de municípios. Pelo que vimos, em Alagoas e em todo o Brasil está havendo uma falência generalizada do sistema de saúde e um fenomenal desrespeito ao ser humano, sempre tratado como animal nos hospitais e postos de saúde. Deu pra ver que a culpa nem sempre é do governador, do prefeito e dos secretários de Saúde e sim do próprio povo que não se rebela contra as roubalheiras que têm acontecido nos últimos anos. Na reportagem da qual falei acima, nota-se que falta tudo nos hospitais e postos de saúde. Faltam médicos, leitos, fichas para atendimentos, medicamentos, aparelhos, funcionários, seringa, algodão, esparadrapo, padiola, etc. etc.  É uma vergonha!

Ora, o que o povo, rico ou pobre, mais precisa é de saúde. De nada adianta ser milionário sem ter saúde.  Pra que serve ser bonito ou bonita, sem ter saúde? Para nós, não adiantam rodovias asfaltadas, ônibus novos, apartamentos, carros sofisticados, casas de veraneio, viagens ao exterior e roupas luxuosas, sem ter saúde. Se é assim, por que os governos não cuidam, primeiramente, da saúde de todos, ricos ou pobres? Com o dinheiro que deveria ser para a saúde, o sr. Michel Temer está comprando os deputados e senadores. Que vergonha!!! Está faltando um Supremo Tribunal Federal para coibir as imoralidades e as improbidades administrativas. Pelo que estamos testemunhando, é muito melhor que fechem os hospitais e os postos de saúde, pois o que precisamos, agora, é de muitos cemitérios. 

Em tempo – O procurador de Estado, Dr. Gilberto Fôlha, é um dos melhores leitores dos meus artigos no EXTRA. Ao ilustre doutor, meus agradecimentos.   

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia