Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 942 / 2017

10/10/2017 - 09:16:55

Motoristas criticam pardais e limites variáveis de velocidade

MACEIOENSE SE queixa DO fim da sincronização dos semáforos nas principais avenidas

Maria Salésia com assessoria [email protected]

“Samba do crioulo doido”. É assim que muitos condutores de veículos que trafegam pelas principais vias de Maceió classificam o trânsito na capital alagoana. A tão sonhada onda verde, onde os semáforos seriam sincronizados e assim a fluidez no trânsito melhoraria, parece que não passou de sonho. Há quem diga que deveria haver um limite único, mas especialistas argumentam que o limite depende de vários fatores como existência de escolas e hospitais nas artérias. A instalação dos novos pardais na capital alagoana também tem causado polêmica. Ao todo existem 25 pontos de fiscalização eletrônica para combate ao excesso de velocidade, avanço de sinal vermelho e parada sobre faixa de pedestres, além da fiscalização eletrônica em trechos da faixa azul para flagrar o seu uso indevido. Apenas no início de novembro é que será divulgado no Diário Oficial do Município, pela prefeitura, o balanço das infrações verificadas e multas.

Segundo assessoria da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Maceió (SMTT), as velocidades máximas permitidas para as vias são definidas pela autoridade de trânsito municipal conforme previsão do Código de Trânsito Brasileiro. “É de se saber que as velocidades implantadas não são nenhum absurdo, tendo como parâmetro o respeito à vida dos condutores que devem se adequar e prevenir os acidentes de trânsito ocasionados muitas vezes pelo excesso de velocidade”, esclareceu.

Ainda de acordo com a SMTT, a fiscalização eletrônica é uma ferramenta utilizada nos grandes centros urbanos e que inibe infrações que podem causar sérios acidentes. Nesse tipo de fiscalização, o veículo que comete a infração é detectado pela captação de imagens com fotossensores. “O objetivo da implantação da fiscalização eletrônica na faixa exclusiva para ônibus é garantir o respeito ao uso correto pelos veículos, assegurando a melhora no tempo de viagem dos coletivos e estimulando o uso por parte da população”.

Vale ressaltar que os novos pontos de fiscalização eletrônica por excesso de velocidade e avanço do sinal vermelho têm o propósito de evitar acidentes que podem ocorrer devido à infração cometida pelo condutor. Dessa forma, os critérios para a instalação nos novos pontos foram a ocorrência de acidentes e a grande possibilidade da ocorrência de sinistros por avanço de sinal vermelho e excesso de velocidade. Já em relação à faixa azul, foi colocada a fiscalização eletrônica em alguns trechos das avenidas Durval de Góes Monteiro, Fernandes Lima, Comendador Leão e Dona Constança a fim de dar mais celeridade ao transporte público. A SMTT alerta que a fiscalização dos agentes de trânsito continua acontecendo concomitantemente.

MULTA

Quando se trata em mexer no bolso, a reclamação é constante. A famosa indústria da multa é criticada pelos condutores de veículos da capital. Por isso, é importante a atenção redobrada para não cair na infração. A SMTT é categórica ao afirmar que, de acordo com o inciso I do artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transitar com veículo na faixa ou pista da direita, regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo, exceto para acesso a imóveis lindeiros ou conversões à direita, é uma infração leve e custa R$ 88,38 e três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Para a infração de velocidade máxima é levado em conta a porcentagem do excesso cometido. De acordo com o Artigo 218 do CTB, quando a velocidade for superior à máxima em até 20%, a infração é de natureza média (valor de R$ 130,16). Quando a velocidade for superior à máxima em mais de 20% até 50% a infração é grave (multa: R$ 195,23).

Já quando a velocidade for superior à máxima em mais de 50% a infração é gravíssima (x3) com multa de R$ 880,41; suspensão imediata do direito de dirigir e apreensão do documento de habilitação.

No caso de avanço de sinal vermelho (art. 208 CTB), a infração é de natureza gravíssima no valor de R$ 293,47. Já a infração de parar sobre faixa de pedestres (art. 183 CTB) resulta em multa no valor de R$ 130,16.

ONDA VERDE

Chamado de Onda Verde, o projeto faz referência à cor verde dos semáforos e à sincronia entre eles. A proposta é que quando o sinal estiver aberto para veículos em um determinado ponto da avenida, outros semáforos que estiverem mais adiante também estejam, embarcando numa sincronização do sinal verde dos semáforos. No entanto, na prática não é isso que é observado pelos condutores de veículos que circulam pelas principais avenidas de Maceió.

Mas a novidade ficou por conta mesmo do monitoramento dos veículos que trafegam irregularmente pela Faixa Azul. Na quarta-feira, 4, a reportagem do EXTRA esteve na Avenida Fernandes Lima e verificou que a “invasão” de veículos na faixa azul tinha diminuído. Outra observação foi de que havia agentes de trânsitos em pontos estratégicos da avenida.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia