Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 942 / 2017

10/10/2017 - 09:05:51

Sururu

Da Redação

Balcão de negócios

1 - A ficha política do deputado Cícero Almeida é o maior exemplo da salada ideológica em que se transformou a representação partidária brasileira. Ninguém é capaz de identificar quem é de direita, de centro ou da esquerda.

2 - E seria até impossível haver tantas ideologias nesse balaio com mais de 30 partidos, em sua maioria siglas de aluguel, verdadeiro balcão de negócios a serviço de seus donos. 

3 - Desde que se elegeu vereador por Maceió, em 2000, Almeida já mudou de “ideologia” nove vezes. Seu primeiro partido foi o PSL e o último o PTN, que também mudou de nome, e agora se chama Podemos. 

4 – Ao longo de sua atribulada vida política, passou pelo PSL, PDT, PTB, PP, PEN, PRTB, PSD, PMDB e Podemos. Atualmente está sem partido à espera de quem lhe oferecer melhor negócio.

5 – Esta semana – pela primeira vez em seu pífio mandato federal – o deputado apareceu no Bom Dia Brasil, da Rede Globo, como símbolo dessa excrescência nacional. 

6 – Ao ser entrevistado como recordista na troca de partidos, Almeida não se fez de rogado. Confessou que sua maior preocupação é se reeleger na próxima eleição. E o povo que se dane. 

7 - Na tentativa de justificar sua metamorfose política, o deputado-forrozeiro argumentou que “ninguém vota mais em partido; hoje só se vota nas pessoas”. Faltou dizer o preço do voto, o custo de uma reeleição e para que serve o seu mandato. 

Deu na Veja

O Ministério Público Federal em Alagoas enviou ao governo de Renan Filho recomendação para que a Secretaria de Segurança Pública deixe de fazer interceptações telefônicas. De acordo com o documento, policiais militares estão operando as escutas ilegalmente, uma vez que isso é atribuição da Polícia Civil. O governo de Alagoas nega irregularidades. 

O Império contra-ataca

Passados mais de 60 anos da Guerra da Coreia, 50 anos da Invasão da Baía dos Porcos e da Crise dos Mísseis em Cuba e 25 anos do fim da Guerra Fria, Donald Trump reacende as tensões de uma possível guerra nuclear. Para Marx: “A história se repete uma primeira vez como tragédia, a segunda como farsa”. Haverá história após a tragédia, para se repetir uma segunda vez? (Professor Rui Calaresi). 

Máfia do Lixo 

O TJ admitiu a existência de um conluio na gestão do então prefeito Cícero Almeida, que culminou na ação penal que investiga a chamada Máfia do Lixo. A decisão da 3ª Câmara Cível do Tribunal é sinal de que o ex-prefeito corre o risco de ser condenado pela roubalheira. 

Domínio do fato

A teoria do domínio do fato, que deu suporte legal para condenação de vários políticos no processo do Mensalão, agora serviu de argumento para livrar Ronaldo Lessa da cadeia. 

Ao condenar o ex-governador a 14 anos de prisão por peculato e formação de quadrilha, a Justiça Federal em Alagoas acolheu o argumento do Ministério Público Federal de que Lessa “teria conhecimento dos fatos” relativos às denúncias de superfaturamento das obras do da Macrodrenagem do Tabuleiro. 

Mas o STF entendeu que não se aplica ao caso a teoria do domínio do fato, já que “só tem o domínio do fato, quem tem o conhecimento dele” e absolveu o ex-governador, que escapou de mais um processo. 

Quem manda           no mundo

1 – O foco do poder não está na política, mas na economia. Quem comanda a sociedade é o complexo financeiro-empresarial com dimensões globais e conformações específicas locais.

2 – Os donos do poder não são os políticos. Estes são apenas instrumentos dos verdadeiros donos do poder.

3 – O verdadeiro exercício do poder é invisível. O que vemos, na verdade, é a construção planejada de uma narrativa fantasiosa com aparência de realidade para criar a sensação de participação consciente e cidadã dos que se informam pelos meios de comunicação tradicionais.

4 – Os grandes meios de comunicação não se constituem mais em órgãos de “imprensa”, ou seja, institui-ções autônomas, cujo objeto é a notícia, e que podem ser independentes ou, eventualmente, compradas ou cooptadas por interesses. Eles são, atualmente, grandes conglomerados econômicos que também compõem o complexo financeiro-empresarial que comanda o poder invisível. Portanto, participam do exercício invisível do poder utilizando seus recursos de formação de consciência e opinião. 

5 – Os donos do poder não apoiam partidos ou políticos específicos. Sua tática é apoiar quem lhes convém e destruir quem lhes estorva. Isso muda de acordo com a conjuntura. O exercício real do poder não tem partido e sua única ideologia é a supremacia do mercado e do lucro.  (Maurício Abdalla, professor da UFES). 

A sobrevivente

A ex-prefeita de Maceió, Kátia Born, está trocando o PSB pelo PDT de Ronaldo Lessa.  Atual secretária de Saúde em Palmeira dos Índios, Kátia entrou para o anedotário político ao mergulhar no Salgadinho para mostrar que o riacho havia sido despoluído na sua gestão. Kátia sobreviveu, mas o Salgadinho continua tão poluído quanto antes. 

Caiu na net

Utah – é um dos estados americanos mais armados dos EUA, com 3 mi-lhões de habitantes e 2,5 milhões de armas de fogo, ou quase uma arma por habitante. Em 2010 ocorreram 52 homicídios. 

Alagoas – é um dos estados mais desarmados do Brasil, com apenas 9.558 armas registradas, ou 0,003186 por habitante. Em 2010, ocorreram 2.084 homicídios. 

Indústria da multa

Assim como os policiais do Batalhão de Trânsito, que ficam escondidos nas rodovias estaduais, os guardas da SMTT trabalham nas sombras em esquinas e praças para flagrar moto-ristas irresponsáveis. Como agentes da lei, devem agir ostensivamente, não apenas para multar, mas também para orientar o trânsito. Afinal, autoridade que se esconde não é autoridade, mas mero agenciador da famigerada indústria da multa. 

Alerta

Em Maceió está proibido bebida alcoólica nos estádios. Só não se sabe até quando!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia