Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 941 / 2017

03/10/2017 - 14:52:20

Meditação como instrumento para a criatividade

Professora de Artes e ilustradora, Karina May pretende retomar em 2018 projeto de pesquisa

Sofia Sepreny Estagiária sob supervisão da Redação
Laboratório de meditação, o Solar trabalha de forma completa o corpo, a mente e a alma e deve ser retomado em 2018 por Karina May

Diante de cotidianos frenéticos, cargas de trabalho diárias e altas demandas, cuidar de si e da própria saúde mental acaba não sendo prioridade. Com um dia a dia parecido, a professora de Artes Karina May, paulistana e formada em Teatro com Licenciatura pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), criou o Projeto Solar. Trata-se de um laboratório de meditação que surgiu da necessidade de desenvolver um trabalho que envolvesse o corpo a mente e alma do ator.

A ideia foi criada a partir da própria necessidade de Karina em trabalhar de uma forma completa com seu corpo, e não só praticar atividades físicas como ginástica laboral e interpretações textuais. Durante suas atividades na área teatral, a necessidade de alimentar a carga criativa do ator, que também pode contribuir em cena, a fez buscar novas saídas. 

O projeto foi criado pela professora no período de faculdade, virou projeto de pesquisa e resultou no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e foi nomeado Meditação Ativa e a Arte do Ator.

Falando sobre a meditação ativa, Karina fala sobre os benefícios do uso. “Essa pratica a qual venho estudando possui benefícios como vitalidade, autoconfiança, amplia a intuição, criatividade, autoconhecimento, melhora a atenção e permite que o praticante tenha uma sensação de bem-estar”, relata a professora.

O projeto não está ativo neste momento, houve uma pausa mas voltará a funcionar no próximo ano, sem datas definidas.

Além do projeto Solar, Karina investiu na sua carreira como ilustradora. Seu processo de criação é autodidata, através de meios criativos, sem nenhuma capacitação técnica. Em 2014, decidiu levar a público suas obras. No mesmo ano participou de exposições, como a Exposição “NU” em parceria com a fotógrafa Rhuanny e a exposição coletiva “Totens”, ambas realizadas no Espaço Cultural Linda Mascarenhas. Em 2015, participou da exposição coletiva do Ateliê Aberto à Comunidade pelo Sesc Alagoas e do II Salão de Arte Contemporânea, no Complexo do Teatro Deodoro.

Em 2016, decidiu investir na ilustração. Hoje atua como ilustradora freelancer. Já desenvolveu trabalhos para empresas como Cesmac, por meio do Atlas Digital da Correlação Clínico patológica, projeto desenvolvido pelo Programa de Pesquisa para SUS-PPSUS/Cesmac, em 2015, e a Revista Sabatina para o Sesc Alagoas em 2016. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia