Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 941 / 2017

03/10/2017 - 14:50:28

Maceió dos meus sonhos

CLÁUDIO VIEIRA

Cai-me às mãos brochura com fotografias de Maceió antiga, a Maceió do meu tempo, da minha infância e da adolescência. A beleza da cidade àquela época teve o imediato condão de esquecer, ao menos por um breve lapso, as agruras porque passa o País, agruras de ordem econômico-financeira, mas, principalmente de moral e ética na política. De que valem as lorotas de Lula empurrando para a ex-primeira dama Marisa Letícia a prática de todos os atos que lhe são atribuídos como delitos? Ou a corriqueira autoproclamação do líder petista de ser o sujeito mais honesto do Brasil, quiçá do mundo? Mais valia que isso tem uma Praça Deodoro do passado, com seus coretos descobertos, a bela fachada do Teatro Deodoro, a arborização em verde. 

E a desfaçatez do presidente Temer negando o óbvio, dedicando-se à politicagem de mais corromper uma Câmara já reconhecidamente corrupta, no esforço de continuar à frente de um governo que ele mesmo já não governa, haja visto que a sustentação do plano de recuperação econômica do País é fundada unicamente do prestígio da equipe econômica, até agora imune às acusações de crimes das mais variadas matizes? Mais aprazível é admirar a beleza da Praça do Martírios dos primeiros decênios do século passado, debruada de frondosas árvores e simpáticos caramanchões?

Ou a mesclagem de variados políticos espelhados nos eduardos cunhas, nos josés dirceus, nos aécios cunhas, nas gleises hoffmans, nos sérgios cabrais, e em tantos outros, daqui e dalhures, discípulos e mestres da corrução, da falta de caráter, da empulhação eleitoral? Melhor admirar a antiga imponência da Praça Pedro II, sua elegante escadaria, a suave arborização, a elegância da sua vista.

Como esses monumentos da Maceió do meu tempo de infante e de adolescente, aqui referidos, muitos outros embelezavam a pacata, mas dinâmica Capital das Alagoas: o prédio da Companhia Força e Luz Nordeste do Brasil, antes Great Western; o hotel Bela Vista. Tudo isso, juntamente com as igrejas da Catedral, do Livramento, das Graças, do Martírios, de São Bendito, e das ruas arborizadas do Centro, tudo isso formaria o nosso Centro Histórico, para gáudio nosso e admiração dos turistas que por aqui pousam. Infelizmente a péssima visão histórica dos nossos políticos deformaram os nossos parques, seja no intuito de “deixarem sua marca” urbanística (?), seja para exercitarem um populismo destrutivo das nossas belezas. Ambiciosos empresários também ajudaram na feitura do mal, fazendo desmoronar bela arquitetura com o fito de erigirem prédios sem beleza, ao menos clássica beleza. 

Graças a Deus, a minha geração ainda conheceu essa bela Maceió que as novas apenas podem ver nas fotografias de época.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia