Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 940 / 2017

26/09/2017 - 10:01:10

Meio Ambiente

Sofia Sepreny da Costa

General Motors 

As várias fábricas da General Motors nos estados de Ohio e Indiana, nos EUA,  onde são fabricados os modelos Chevrolet Cruze e Silverado, serão alimentadas exclusivamente por aerogeradores que conseguirão recolher do vento cerca de 200 megawatts de energia. O início desta medida está agendado para o final de 2018 e representará cerca de 20% do consumo de eletricidade da GM.

Lagosta brilhante 

Uma lagosta “transparente” foi encontrada no fim do mês de agosto na costa do estado do Maine, nordeste dos Estados Unidos. Capturado pelo pescador Alex Todd, o animal exibe sua aparência translúcida em uma fotografia divulgada pela Associação de Pescadores da Costa do Maine.

Mutum de Alagoas

O mutum-de-alagoas vai ser reintroduzido em Alagoas. A ave, símbolo do estado, será reintroduzida na fauna local nesta sexta-feira (22), após quase 30 anos sem registros do pássaro na Mata Atlântica alagoana. Inicialmente o mutum será encaminhado para uma reserva localizada na Usina Leão, no município de Rio Largo. 

Podas drásticas 

Podar as plantas através dos galhos e sem conhecimento, causa danos ao meio ambiente e à saúde da árvore. O corte de todos os galhos da árvore oferece risco a vida da planta e quando feito sem autorização pode gerar multas ao responsável em diversas cidades. Quando necessário, moradores podem fazer podas apenas nas folhas.

Dia da Árvore

Em celebração ao Dia da Árvore, comemorado nacionalmente a 21 de setembro, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Semds) realizou a terceira edição do projeto Planta Maceió, uma iniciativa para incentivar a arborização na cidade. Houve a doação de mil mudas, exposição e ações educativas com a comunidade escolar da região do bairro Cidade Universitária.

Deficit de árvores 

O deficit de árvores em Campinas chega a 400 mil e causa reflexos ao meio ambiente na cidade do interior de São Paulo. A falta de vegetação em ruas e canteiros centrais se deve ao crescimento urbano do município, que não foi acompanhado pelo plantio de mudas. A ausência de plantas colabora para o aumento da temperatura, além de prejudicar a fauna e os recursos hídricos do município, segundo o Executivo.

Deficit de árvores 

O deficit de árvores em Campinas chega a 400 mil e causa reflexos ao meio ambiente na cidade do interior de São Paulo. A falta de vegetação em ruas e canteiros centrais se deve ao crescimento urbano do município, que não foi acompanhado pelo plantio de mudas. A ausência de plantas colabora para o aumento da temperatura, além de prejudicar a fauna e os recursos hídricos do município, segundo o Executivo.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia