Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 939 / 2017

18/09/2017 - 14:53:34

Premiação exclui parlamentares de Alagoas acusados de corrupção

Cinco deputados federais poderão concorrer ao título de melhores do ano

José Fernando Martins [email protected]

Dos nove deputados federais por Alagoas, apenas cinco estão aptos a participar da décima edição do Prêmio Congresso em Foco. A organização do evento excluiu da lista de participantes os parlamentares acusados, durante seu histórico político, de práticas ilícitas em inquéritos ou ações penais em andamento no Supremo Tribunal Federal (STF).

Podem ser agraciados quaisquer deputados que, até o início da seleção dos premiados, exerçam ou tenham exercido o cargo federal no corrente ano legislativo de 2017, pelo período mínimo de 60 (sessenta) dias. Os únicos concorrentes pelo estão são: Givaldo Carimbão (PHS), JHC (PSB), Nivaldo Albuquerque (PRP), Pedro Vilela (PSDB) e Rosinha da Adefal (PTdoB).

Arthur Lira (PP), Cícero Almeida (Podemos), Paulão (PT) e Ronaldo Lessa (PDT)  não irão participar. O site Congresso em Foco destacou quais crimes os parlamentares citados são ou foram investigados pela Justiça, fatos que os limaram da competição. 

Lira, por exemplo, é acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha ou bando, lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores, lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores e peculato. Ele e seu pai, o senador Benedito Lira, são citados na Lava Jato. 

Já Almeida responde por corrupção passiva, crimes da Lei de licitações (Máfia do Lixo), crimes de responsabilidade, quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. Paulão tem dois inquéritos no STF. Entre eles está a apuração do crime de peculato ou estelionato, praticado mediante a contratação de Alberto Carlos Queiroz de Lima como servidor da Assembleia Legislativa de Alagoas, em período no qual estava incapacitado para o trabalho. No entanto, o inquérito foi arquivado pelo ministro Gilmar Mendes.

Lessa tem três ações penais por crimes eleitorais, calúnia, crimes da lei de licitação, quadrilha ou bando, injúria, ameaça e peculato. E na atual conjuntura do Senado brasileiro, está mais do que claro que Renan Calheiros (PMDB), Benedito de Lira (PP) e Fernando Collor (PTC) não vão “chegar nem perto” do evento. Todos são acusados de envolvimento na Máfia da Lava Jato, entre outros crime do colarinho branco.

Resultados parciais

O Congresso em Foco divulgou os deputados federais com mais votos até o dia 12 de setembro. Em primeiro lugar da categoria “Melhores Deputados” está Eduardo Bolsonaro (PSC), com 15.822 votos. Jean Wyllys (Psol), com 4.997; e Chico Alencar (Psol), 4943, aparecem na sequência, respectivamente. 

Entre os alagoanos, JHC é o mais votado com 87 votos, no 109 º lugar no ranking geral. Pedro Vilela, com 14 votos, aparece na 266ª posição. Rosinha da Adefal assume a 268ª posição, também com 14 votos. Carimbão, com seis votos, está em 319º, e Nivaldo Albuquerque, até o momento, só foi votado por quatro pessoas, ficando em 330º lugar .

Como melhores senadores aparecem Magno Malta (PR-ES), com 15.173; Ana Amélia (PP-RS), com 7.298; e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), 5.979.

Evento

O Prêmio Congresso em Foco, realizado em 2017 pela décima vez, tem como objetivos valorizar os melhores parlamentares, estimular a população a acompanhar o desempenho dos eleitos e enfrentar as tentativas de desqualificação da política e da democracia.

A solenidade é apoiada por diversos parceiros, que tem como finalidade distinguir os melhores parlamentares do Congresso Nacional e estimular a sociedade a acompanhar seus representantes de modo ativo, assim como a participar plenamente da vida política.

A votação ocorre desde o dia 1ª e vai até 30 de setembro. O internauta pode votar através da utilização do domínio www.premiocongressoemfoco.com.br. O sistema recebe monitoramento e auditoria externa, a cargo da Associação Nacional dos Peritos Crminais Federais (APCF).

Excluídos os políticos que respondem a inquéritos e ações criminais, 377 parlamentares estão em condições de receber o  prêmio. Aplicados os critérios, restaram 37 senadores e e 340 deputados aptos a receberem os votos do público. Os números correspondem, respectivamente, a 46% dos integrantes do Senado e 66% dos representantes eleitos para a Câmara.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia