Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 939 / 2017

18/09/2017 - 09:20:28

Gabriel Mousinho

Gabriel Mousinho

Poder de fogo

O governador Renan Filho já deu sinal aos adversários de que o Estado vai entrar pra valer em 2018. Serão pelo menos R$ 1 bilhão que serão despejados em obras em Alagoas frutos de empréstimos e arrecadação, exatamente no ano em que os Renans são candidatos à reeleição.

Esses recursos, de acordo com a assessoria do governo, já estão garantidos e serão beneficiadas várias obras para encher os olhos da população. A estratégia do governo é boa, e deixa bastante claro que a campanha será recheada de propaganda sobre as ações no estado e que “não adianta mexer em time que está ganhando”.

Essa dinheirama que está para aportar em Alagoas, oriunda na sua maior parte do governo federal, demonstra que as denúncias de Renan pai e Renan Filho sobre retaliações do presidente Michel Temer, pelo menos neste aspecto, não procedem.

Na verdade, as emendas parlamentares, até mesmo dos adversários políticos dos Renans, têm garantido muitas obras em Alagoas, independentemente da vontade ou não do governo de Alagoas.

O que se vislumbra, de pronto, é que a campanha eleitoral do próximo ano já está em plena efervescência e a temperatura deve aumentar nos próximos meses.  Munição para este embate é que não vai faltar.

Medo antecipado

O prefeito Rui Palmeira tem se esquivado de tratar sobre as eleições de 2018, assegurando que tudo tem seu tempo. Mas os adversários não pensam assim. Estão incomodados com o prefeito de Maceió que aplicou tremenda surra nas urnas no grupo liderado pelos Calheiros nas últimas eleições.

Fica onde?

O deputado Ronaldo Lessa ainda não definiu de que lado ficará nas eleições do próximo ano. Se do lado de Rui palmeira, onde está, ou se migrará para Renan Filho, que já tem pronta secretaria de Estado para seu grupo assumir. 

Esfriando

As tentativas de trazer o deputado Ronaldo Lessa para o governo parecem que esfriaram.  Toda semana pipoca uma denúncia envolvendo os Calheiros, o que tem deixado o deputado assustado e com medo de tomar uma decisão errada. Se depender dos amigos, ele não vai, mas se depender do seu irmão, Otávio Lessa, ele já está com o pé dentro do governo.

Esperando

Em face da indecisão de Lessa, a ex-vereadora e senadora Heloísa Helena aguarda pacientemente para saber com quem vai compor nas eleições de 2018. Boa de voto, Heloísa vai ficar longe de qualquer grupo que não tenha compromisso com a decência e honradez.

Outra dúvida

Disposto a disputar o Senado, o ex-governador Téo Vilela, como bom tucano, nunca diz pra onde vai ou se disputará as eleições de 2018. Uma coisa é certa: a antiga dobradinha com o senador Renan Calheiros dificilmente deverá ser concretizada, a não ser que Téo rompa com todos os seus aliados.

Rabo de fora

O empresário Milton Lyra, conhecido lobista em Alagoas e no Brasil, está com tanto medo de ser envolvido nas delações da Operação Lava Jato que já se mudou de Brasília para São Paulo. Como se a Polícia Federal não soubesse do seu paradeiro.

Palavras do chefe

O secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, aprendeu cedo as passadas do chefe. Ele fala dos 200 anos de Emancipação Política, inclui as ações do governo e bota no meio a construção de escadarias nas grotas de Maceió, como se isso não fosse uma ação eminentemente política com vistas às eleições do próximo ano.

Alagoas em manchete

Uma coisa o secretário Fábio Farias tem toda a razão: nunca se discutiu tanto Alagoas como em 2017. O estado permaneceu na mídia com a Operação Lava Jato, onde foram incluídos e citados, entre outros, o senador Renan Calheiros com cerca de 18 inquéritos no Supremo Tribunal Federal e o próprio governador Renan Filho, que está sendo investigado no Superior Tribunal de Justiça.

Autoestima?

Esta história de autoestima do alagoano em comemoração aos 200 anos de emancipação política é conversa pra boi dormir. Qual a autoestima, se o alagoano carece de segurança, saúde, educação e infraestrutura de uma forma geral? Comemorar o quê?

Zona financeira

Se um simples cidadão se dirige a uma agência bancária para sacar R$ 10 mil, além de ter obrigatoriamente de fazer uma reserva, ainda é submetido a uma série de perguntas. Ultimamente se tem visto desvios milionários, malas de dinheiro apreendidas e a área financeira do governo federal parece que não está nem aí.

Descendo o rio

O governador Renan Filho programou para esta semana uma viagem pelo Rio São Francisco a partir de Piranhas até a foz, em Piaçabuçu.  Ele deveria ter ido de carro para Piranhas, pra ver a situação da estrada próxima à entrada da cidade de Rui Palmeira. Uma verdadeira tábua de pirulitos.

Bombardeio a Beltrão

Coincidentemente, depois de um afastamento entre Marx Beltrão e Renan Calheiros, o ministro do Turismo começou a sofrer alguns bombardeios por parte de pessoas ligadas ao senador. Uma forma sutil de atingi-lo. Um caso de suposta traquinagem na construção de uma obra em Pirenópolis, em Goiás, envolvendo um primo de Marx, já está sendo alvo de pessoas ligadas aos Calheiros. É o começo do fim de uma pretensa aliança política para as próximas eleições.

Cadê o celular?

O roubo de celulares no estado aumentou consideravelmente nos últimos meses. Pelo levantamento da segurança pública, em 2016 foram roubados 10 mil 136 celulares. Este ano, apenas entre janeiro e julho foram roubados 11 mil 986 aparelhos. Desse volume, a polícia conseguiu recuperar apenas 30.

Esquecimento

A Justiça parece que esqueceu a história de um atuante advogado alagoano que foi preso por suposta venda de sentença. Ninguém sabe onde anda o processo, o que foi feito e no que vai dar. Era a hora do Conselho Nacional de Justiça intervir, para saber como anda esse e outros procedimentos que mexem com a Justiça. 

Perguntar não ofende

Por que depois de dezenas de anos no Senado só agora Renan Calheiros quer criar CPI para investigar supersalários nos três poderes?

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia