Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 939 / 2017

18/09/2017 - 09:16:54

Sururu

Da Redação

Coisas da política

1 – Para acomodar novos aliados em ano eleitoral o governo de Renan Filho já começou a troca de secretários. Na dança das cadeiras até o Detran pode mudar de comando, com graves riscos para o órgão. 

2 – O governador pode até ganhar alguns votos com a entrega do Detran a um aliado político, mas certamente Alagoas terá muito a perder com a saída do advogado Antônio Carlos Gouveia. 

3 – Os alagoanos jamais esquecerão do balcão de negócios ilícitos em que se transformou o órgão de trânsito na época em que era dirigido por paus-mandados a serviço de políticos sem escrúpulos. 

4 – Ao assumir o Detran o advogado Antônio Carlos Gouveia não só viabilizou as finanças do órgão como implantou na autarquia a cultura da moralidade, coisa rara no serviço público de hoje. 

5 – Como se sabe, ninguém é insubstituível, mas mudar o que está dando certo não é uma decisão inteligente. Sobretudo na atual escassez de gestores públicos competentes e honestos. 

Os imexíveis

Renan Filho já deixou claro que só três de seus assessores diretos são imexíveis: os secretários George Santoro, da Fazenda; Fábio Farias, do Gabinete Civil; e, Ênio Lins, da Comunicação Social. 

Até tú, Renan!

O depoimento do ex-ministro Antônio Palocci entregando Lula de bandeja foi o fato mais devastador dos últimos dias. Desde então, dezenas de lideranças políticas que haviam se comprometido a apoiar o ex-presidente já deram para trás. Entre os “arrependidos” estaria até mesmo o senador Renan Calheiros, que recepcionou o petista em Alagoas durante a passagem de Lula com sua caravana da vergonha pelo estado. (Imprensa Viva) 

Na moita

Os militares do Batalhão de Trânsito do DER que fazem a fiscalização nas rodovias estaduais estão prestando um desserviço à comunidade. Ao invés de exercerem uma fiscalização ostensiva, os guardas escondem as viaturas às margens das rodovias e ficam na espreita de alguma ultrapassagem irregular para multar os motoristas. O trecho Maceió-Paripueira é o ponto crítico dessa prática nefasta de multar para arrecadar. Coisa feia! 

Alô Promotoria

Prefeituras e Câmaras de Vereadores de Alagoas estão burlando a lei na contratação de escritórios de contabilidade, com licitações de cartas marcadas. Publicam o resumo das licitações, mas sonegam os editais solicitados por concorrentes indesejáveis. 

Moro ganhou, Lula perdeu

Há um vitorioso no depoimento prestado na quarta pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na ação em que é acusado de corrupção e lavagem de dinhei-ro oriundo de contratos entre Petrobras e Odebrecht: o juiz Sérgio Moro.

Se o objetivo de Lula era usar a oportunidade como mais um palanque eleitoral para posar de vítima, desta vez falhou. Moro não saiu do tom, agiu como magistrado, enquanto Lula foi agressivo e se excedeu várias vezes (…).

Lula, ficou claro, está nas cordas. Sua caravana pelas cidades nordestinas tem atraído um público exíguo e, em vez de ser uma apoteose, revelou o grau de rejeição a seu nome, antes ovacionado com unanimidade. Um PT renovado em torno de Haddad representaria uma aposta de risco. Não para 2018, mas talvez 2022. Também parece ser a única saída para um partido em cujas entranhas se instalou uma organização criminosa. Se insistir em Lula, o PT terá escolhido ficar no mesmo lugar que ele: destilando rancor no banco dos réus ou, provavelmente, atrás das grades. (G1).

Esperteza

Alguns prefeitos estão usando a crise para não pagar fornecedores e outras obrigações. Outros, mais espertos, estão demitindo servidores contratados depois das eleições como compromisso de campanha. Como dizia Tancredo Neves, a esperteza quando é grande demais acaba comendo o esperto. 

Novo golpe

O empresário Moacyr Breda, há anos sumido de Alagoas, voltou às manchetes policiais ao tentar aplicar um novo golpe milionário, desde vez contra a Prefeitura de Pirenópolis, em Goiás. 

Meta falida

Moacyr Breda sumiu de Maceió após a falência de sua construtora, Meta Empreendimentos Imobiliários, que deixou muitas famílias no prejuízo. Até hoje não ressarciu as vítimas. 

Golpe frustrado

Na frustrada tentativa de golpe em Pirenópolis. Moacyr Breda usou o nome do primo Marx Beltrão, ministro do Turismo, para extorquir a prefeitura. Mas o achaque deu errado.

Projeto falido

Breda ressuscitou um falido projeto para construção de um centro de convenções em Pirenópolis para arrancar dinheiro do prefeito. Em troca, prometia usar o primo-ministro para liberar R$ 36 milhões do Ministério do Turismo. 

A dúvida

O prefeito desconfiou da esmola grande demais e botou a boca no trombone. Resta saber se o ministro Marx Beltrão sabia da tramoia. 

Palhaçada

O deputado Tiririca apresentou projeto de lei na Câmara Federal isentando palhaços e artistas de pagar pedágio nas rodovias federais. 

Único “artista” da bancada alagoana, o deputado-forrozeiro Cícero Almeida, futuro beneficiário da Lei Tiririca, ainda não se pronunciou sobre a imoralidade. 

O Ciço deve estar mesmo é preocupado com a ação penal por seu envolvimento na máfia do lixo, que pode enterrar sua malfadada carreira política. 

Sem pedigree nem grupo político, Almeida vive seu inferno astral pulando de partido em partido na tentativa de salvar seu inútil mandato. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia