Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 938 / 2017

11/09/2017 - 15:36:54

Não é proibido sonhar...

Alari Romariz Torres

Era uma vez um país tropical, cheio de belezas naturais, que tinha tudo para ter um povo feliz e com amplas possibilidades de ser próspero e rico.

Durante anos foi governado por políticos de partidos variados. Passou pela direita, pela esquerda e caiu nas mãos de um torneiro mecânico, inteligente e sabido. Não fez curso superior porque não quis, usando tal fato para explorar a ingenuidade da população.

 Após várias tentativas, conseguiu chegar à Presidência da República e eu, apesar de não ter votado nele, pensei: um homem do povo vai realizar todos os seus sonhos; fará uma boa administração e levará o país à glória.

 Seu primeiro governo foi bom, apesar de ter explorado demais a área social: aproveitou alguns programas do governo anterior, criou outros e o povo foi gostando das ajudas: bolsa-família, bolsa-gás e haja bolsas. Claro que os mais carentes ficaram contentes e o moço foi reeleito com relativa folga.

Não conseguiu controlar a família e deixou-a enveredar por caminhos perigosos. A mulher se envolveu com falsos amigos, excedeu-se em cirurgias plásticas e foi perdendo a identidade. Tornou-se outra pessoa.

Outro grave erro do presidente dos trabalhadores foi insistir em eleger sua substituta: uma mulher guerrilheira, antipática e completamente alérgica à ciência política. Pelas informações da imprensa e dos amigos, era de difícil convivência. Tratava mal os humildes e não agradava aos políticos e aos mais chegados ao poder.

Tantos problemas levaram a engenheira ao fim antecipado do governo. Foi “impichada” na linguagem popular e deixou uma herança maldita para o vice, que não é tão melhor que ela.

Chega o doutor fino ao Poder, cheio de palavras difíceis, “caras e bocas”, trazendo consigo velhas raposas da República. E os incrédulos ficaram mais assustados ainda!

A Lava Jato reaparece agora com maior força! Investiga mais políticos e os escândalos vão acontecendo. Esquerda, direita, centro, todos entram na dança da corrupção! É um atrás do outro! Os partidos políticos se enrolam governantes, ex-governantes, ministros, parlamentares, empresários são indiciados. Para surpresa nossa, até o doutor fino, atual presidente, é denunciado! O país vira de “ponta cabeça”!

Daí, então, o povo fica pensativo: o que irá acontecer? Como o cacique-mor do PMDB, mas ligado ao PT, vai administrar o caos, se ele próprio é citado nas delações premiadas como corrupto, recebendo propina?

As manifestações públicas de “Fora Temer” acontecem; o presidente e seus ministros não podem sair às ruas livremente; são vaiados pelo povo em diversas ocasiões. Vem à TV o dirigente máximo, para cantar, em verso e prosa, as coisas boas do seu governo. Quer tapar o sol com uma peneira.

Para surpresa nossa, a economia está melhorando, segundo afirmam os amigos do Poder, mas o defict de 2017 chegará a 159 bilhões de reais.

Alguns estados estão em pior situação, como é o caso do Rio de Janeiro, vítima de um governo extremamente corrupto. O presidente chama as Forças Armadas (humilhadas, sem dinheiro, com baixos salários) para socorrer a antiga Capital da República. Pouco vai adiantar e ainda vão ser criticadas. Coisa do Brasil!

A violência por todos os estados e municípios cresce assustadoramente. O cidadão sai de casa e não sabe se volta. Até nas pequenas cidades do interior os bandidos já chegaram.

O povo pobre, a classe média, os privilegiados, todos estão assustados com a balbúrdia implantada por políticos desonestos, que se instalaram em todos os recantos de nossa terra tropical.

Só nos resta sonhar com mudanças nas atitudes dos políticos, celeridade na Justiça e, principalmente, proteção de Deus para que nosso Brasil volte aos caminhos normais, legais e sadios!.  Seremos independentes?

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia