Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 936 / 2017

28/08/2017 - 19:21:18

Gabriel Mousinho

Gabriel Mousinho

Campanha pega fogo

Mesmo ninguém querendo assumir uma campanha antecipada e que é proibida pela Justiça Eleitoral, nos bastidores a disputa pega fogo entre os grupos de Renan Filho e Rui Palmeira. É a briga por alianças e espaços nas administrações estadual e municipal.

Se por um lado o governador Renan Filho não faz segredo que trabalha intensamente pela sua reeleição, do outro o prefeito Rui Palmeira insiste em dizer que eleições do próximo ano só se discutem em 2018.

Mesmo assim está sendo travada uma luta sem tréguas nas alianças políticas. O passe do deputado Ronaldo Lessa, por exemplo, está sendo disputado 24 horas por dia, assim como de JHC, que teve grande desempenho nas urnas nas eleições de 2014.

Na verdade, enquanto a briga nos bastidores aumenta a cada dia, os grupos começam a armar estratégias para um futuro embate político. No palanque de Renan Filho, se a justiça deixar, a atração deverá ser o ex-presidente Lula. Do lado de Rui, se topar a parada, poderá estar presente o virtual candidato a presidente João Dória, prefeito de São Paulo.

Acelerando

O governador Renan Filho topa qualquer composição para ter ao seu lado os deputados Ronaldo Lessa e JHC, mesmo que tenha de negociar secretarias importantes do seu governo. O objetivo é ampliar o tempo no rádio e televisão durante a campanha de 2018. Resta saber se o PSB e o PDT vão topar a parada.

Alto lá

A tropa de choque de Ronaldo Lessa olha desconfiada essas incursões do governador para ter o deputado ao seu lado. Fazia tempo que Lessa não era olhado com tanto interesse pelo Palácio dos Martírios. Rodado, Ronaldo observa tudo com muita desconfiança.

A reboque

Dificilmente o deputado JHC vai aceitar entrar na onda do PMDB. Fazendo carreira solo e com perspectivas de ter uma reeleição relativamente fácil, JHC não gostaria de ficar comprometido nem com Renan pai, nem com Renan Filho.

Agora, sim

Passando o Distritão na reforma política, vamos ver agora quem tem voto mesmo para ser eleito deputado. Na Câmara Federal a expectativa é de quem vai disparar nas eleições de 2018. Arthur Lira, Maurício Quintella e Ronaldo Lessa parecem ter vaga garantida, assim como Marx Beltrão se fosse para a reeleição.

Sem opção

A história de que o PT de Alagoas vai compor com o PMDB dos Renans, é jogo de carta marcada. Afinal de contas para onde iria o PT se não fosse para o PMDB? Aliás, é o mesmo PMDB que ajudou a apear Dilma Rousseff da presidência.

Falha no recall

A Toyota anunciou um recall dos airbag de sua linha, incluindo camionetes, mas até hoje as peças não chegaram a Maceió. Como existem riscos do equipamento ser acionado podendo causar acidentes, espera-se que a montadora acelere essas providências.

Medalha pra ele

O prefeito Eduardo Tavares, de Traipu, ao fim do seu mandato deve receber uma medalha de honra ao mérito pelas dificuldades que está passando na sua gestão por problemas criados por seus antecessores. Tavares colocou o município nos trilhos, mas sofre com o legado miserável deixado por alguns dos que assumiram os destinos de Traipu nos últimos anos.

Renan x Marx

O desconforto entre os dois parlamentares passou a ser muito visível nos últimos dias. Na Fetag, onde estiveram juntos na segunda-feira, os dois tomaram posições diferentes. De um lado Renan condenando a política do presidente Michel Temer. Do outro, Marx Beltrão anunciando liberação de recursos para o setor.

De partida

Pelo ambiente criado depois da decisão de Marx Beltrão de disputar o Senado, o ministro cai já fora do PMDB. Sabe que ali não tem futuro e que em nenhum momento Renan trabalhará para o segundo voto para ele.

Renans e Lula

O senador e o governador jogam todas as fichas numa aproximação com o ex-presidente Lula, já condenado pela Lava Jato. É a única bala que possuem para ter um bom desempenho nas eleições do próximo ano. Renan nunca tinha sido Lula, mas agora passou a ser lulista de primeira linha.

Puxa-saco

Segunda-feira, no lançamento do livro de Ronaldo Lessa, um conhecido economista da família Calheiros estava conversando com um amigo de Mar Vermelho, quando chegou o governador. O cara deu uma carreira, deixou o amigo falando sozinho e correu para o abraço.

Rejeição

Era visível a rejeição do governador Renan Filho durante o lançamento do livro de Ronaldo Lessa junto ao pessoal ligado ao deputado. Eles nunca esqueceram a forma deselegante quando foram defenestrados do governo na Secretaria do Trabalho.

No final

Quem chegou ao final da cerimônia de lançamento do livro quando praticamente não tinha mais público para cumprimentar, foi o senador Renan Calheiros. Ele falou com Ronaldo e ficou num canto esperando o fim dos autógrafos. Parecia que os amigos de Lessa não aprovam a proximidade do deputado com o Palácio dos Martírios.

Evitando

O prefeito Rui Palmeira demonstrou que está evitando se encontrar com o senador Renan e governador Renan Filho. Ao prestigiar o lançamento do livro de Lessa, Rui não esteve nem com o pai, nem com o filho.

Aproximação

Depois de afastar qualquer possibilidade de estar no palanque dos Calheiros em 2018, Thereza Collor tem se aproximado muito do deputado Ronaldo Lessa. Ela espera a melhor oportunidade para se filiar a algum partido, contanto que não seja o PMDB.

É candidata

Pela sua movimentação, reuniões e conselhos de velhos experientes da política alagoana, Thereza Collor é mesma candidata em 2018. A única exigência que faz para se filiar a um partido é que seus dirigentes não estejam envolvidos em corrupção.

Lula e 2018

Que o ex-presidente Lula tem todo o direito de percorrer todo o Brasil, isso ninguém tem dúvida. Mas negar que a caravana que lhe trouxe para Alagoas tem caráter eleitoreiro é querer fazer o povo de besta


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia