Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 934 / 2017

14/08/2017 - 19:44:20

Meio Ambiente

Bruno Fernandes

Empresas devedoras 

Enquanto o presidente Michel Temer (PMDB) tenta manter o aumento do PIS e da Cofins sobre os combustíveis para fechar as contas do governo, algumas das maiores empresas do Brasil, como era o caso da Varig, acumulam uma dívida de R$ 545,4 bilhões referentes aos mesmos tributos. Essa dívida de 1,8 milhão de empresas é referente às contribuições sociais, que também incluem a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido). Os dados constam em documento da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) entregue à CPI da Previdência.

Setor industrial nordestino 

A produção industrial brasileira cresceu em junho em comparação com o mês anterior, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional). Infelizmente o Nordeste apresentou queda de 4%. Em julho, a região apresentou avanço de 5,1%. O Sudeste mais uma vez, permaneceu na liderança devido à expansão mais intensa, impulsionada pelos avanços das indústrias extrativas como minérios de ferro e produtos alimentícios.

Imposto de Renda 2017

A Receita Federal liberou nesta terça-feira (8) a consulta ao terceiro lote de restituições do Imposto de Renda 2017. Também estão no lote as restituições de 2008 a 2016 que haviam caído na malha fina e serão liberadas pela Receita. Para saber se teve a declaração liberada o contribuinte deve acessar www.receita.fazenda.gov.br ou ligar para o Receitafone, no número 146.

Centrais Sindicais 

O imposto sindical vai deixar de existir em novembro com a entrada em vigor da reforma trabalhista, mas a contribuição que os trabalhadores dão aos sindicatos pode aumentar com a mudança. Em vez de ter um dia de trabalho descontado, obrigatoriamente, todo ano (o correspondente a 4,5% de um salário), as duas das maiores centrais do país, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Força Sindical, defendem que de 6% a 13% de um salário mensal sejam destinados anualmente ao financiamento das entidades. A mudança negociada com os parlamentares é parte das alterações a serem feitas após a aprovação da reforma.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia