Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 934 / 2017

14/08/2017 - 19:27:36

Jorge Oliveira

Jorge Oliveira

Agonia do 

Velho Graça

Brasília - Se alguém ainda tem dúvidas de que Alagoas já produziu políticos honestos, leia trechos do relatório do então prefeito de Palmeira dos Índios, Graciliano Ramos, enviado ao governador Álvaro Paes em 1929. Depois dessa leitura, eu pergunto: você acha justo que a Universidade do Estado de Alagoas e Assembleia Legislativa, órgãos sustentados com o dinheiro público, homenageiem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por corrupção, com os títulos de Honoris Causa e Cidadão Honorário? O Mestre Graça, um dos mais respeitados escritores do mundo, certamente, onde estiver, estaria envergonhado da sua terra.

O relatório

“Receita – 96:924$985 

No orçamento do ano passado houve supressão de várias taxas que existiam em 1928. A receita, entretanto, calculada em 68:850$000, atingiu 96:924$985. 

E não empreguei rigores excessivos. Fiz apenas isto: extingui favores largamente concedidos a pessoas que não precisavam deles e pus termo às extorsões que afligiam os matutos de pequeno valor, ordinariamente raspados, escorchados, esbrugados pelos exatores. (...) 

Administração – 22:667$748 

Figuram 7:034$558 despendidos com a cobrança das rendas, 3:518$000 com a fiscalização e 2:400$000 pagos a um funcionário aposentado. Tenho seis cobradores, dois fiscais e um secretário. 

Todos são mal remunerados. (...) 

Cemitério – 243$000 

Pensei em construir um novo cemitério, pois o que temos dentro em pouco será insuficiente, mas os trabalhos a que me aventurei, necessários aos vivos, não me permitiram a execução de uma obra, embora útil, prorrogável. Os mortos esperarão mais algum tempo. São os munícipes que não reclamam. 

Iluminação – 7:800$000 

A prefeitura foi intrujada quando, em 1920, aqui se firmou um contrato para o fornecimento de luz. Apesar de ser o negócio referente à claridade, julgo que assinaram aquilo às escuras. É um bluff. Pagamos até a luz que a lua nos dá. (...) 

Instrução – 2:886$180 

Instituíram-se escolas em três aldeias: Serra da Mandioca, Anum e Canafístula. (...) Presumo que esses estabelecimentos são de eficiência contestável. As aspirantes a professoras revelaram, com admirável unanimidade, uma lastimosa ignorância. Escolhidas algumas delas, as escolas entraram a funcionar regularmente, como as outras. 

Não creio que os alunos aprendam ali grande coisa. (...) 

Miudezas 

Não pretendo levar ao público a idéia de que os meus empreendimentos tenham vulto. Sei perfeitamente que são miuçalhas. Mas afinal existem. E, comparados a outros ainda menores, demonstram que aqui pelo interior podem tentar-se coisas um pouco diferentes dessas invisíveis sem grande esforço de imaginação ou microscópio. 

Quando iniciei a rodovia de Sant’Ana, a opinião de alguns munícipes era de que ela não prestava porque estava boa demais. Como se eles não a merecessem. E argumentavam. Se aquilo não era péssimo, com certeza sairia caro, não poderia ser executado pelo município. (...) 

Projetos 

Tenho vários, de execução duvidosa. Poderei concorrer para o aumento da produção e, consequentemente, da arrecadação. (...) Iniciarei, se houver recursos, trabalhos urbanos. (...) 

Empedrarei, se puder, algumas ruas. 

Tenho também a ideia de iniciar a construção de açudes na zona sertaneja. 

Mas para que semear promessas que não sei se darão frutos? Relatarei com pormenores os planos a que me referia quando eles estiverem executados, se isto acontecer. 

Ficarei, porém, satisfeito se levar ao fim as obras que encetei. É uma pretensão moderada, realizável. Se não realizar, o prejuízo não será grande. 

O município, que esperou dois anos, espera mais um. Mete na prefeitura um sujeito hábil e vinga-se dizendo de mim cobras e lagartos”.

Indignação

Nem bem os alagoanos tinham se refeito do susto da universidade do PCdoB, eis que aparece o deputado Dudu Holanda com a proposta de a Assembleia Legislativa entregar ao Lula o título de Cidadão Honorário. Ele alega que Lula mandou dinheiro para ajudar os flagelados na época da chuva como se isso não fosse obrigação de um governante. Por isso, pensa fisiologicamente, o ex-presidente precisa ser homenageado.

Vergonha

Parlamentares, companheiros do deputado, já reagiram. Estão indignados com ele, já que a outorga foi aprovada em 2010 e o Lula nunca apareceu para recebê-la quando ainda estava no poder. Agora, como condenado, mexe com os pauzinhos para que os seus serviçais, com mandatos de deputados e reitor, o homenageiem no momento em que ele percorre o Nordeste em campanha.

Empulhação

A entrega desses títulos a uma pessoa condenada por corrupção é uma afronta ao povo alagoano que já se prepara para impedir que isso aconteça por meios dos movimentos sociais. Se o título realmente for concedido, o ex-presidente irá desfilar na galeria de outros agraciados pela assembleia como Arthur Ramos, Aurélio Buarque de Holanda, Jofre Soares, Djavan, Manuel Diégues Júnior. Ótimo para Lula, pior para a Alagoas que passa à história como o estado que condecora corrupto condenado.

Suspenso

O que acontece hoje em Alagoas por pouco não se realiza em Mato Groso. Naquele estado, o deputado petista Valdir Branco aprovou este ano a entrega do título de Cidadão Honorário ao ex-presidente, mas o presidente da Casa, Eduardo Botelho (PSB), derrubou a honraria, alegando que o Lula não é digno de receber tal homenagem.

Marca

Os movimentos sociais começam a se organizar para evitar essas bajulações explicitas ao Lula. Em Arapiraca as pessoas honestas e de bem já se organizam para impedir que a universidade concretize a ideia do título de Honoris Causa. Fala-se, inclusive, que o prefeito Rogério Teófilo, o idealizador da extensão da Ufal para a sua terra, não iria comparecer ao evento. Em Maceió, os movimentos se organizam para impedir que os deputados prestem a homenagem ao Lula, numa clara subserviência ao ex-presidente.

Na lista

Essa afronta ao povo alagoano tem nome: canalhice. E em 2018, época das eleições, o eleitor precisa gravar os nomes desses deputados que estarão no plenário curvando-se ao ex-presidente Lula, condenado por corrupção, e respondendo a mais outros processos. Os movimentos sociais contrários à homenagem devem utilizar as redes sociais para listar os parlamentares que usam a “Casa do povo” para cometer um ato de truculência como esse contra os alagoanos. Afinal de contas, todos precisam se reeleger pra manter seus mandatos. E traições como essas ao povo honesto de Alagoas o eleitor não deve perdoar.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia