Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 932 / 2017

01/08/2017 - 18:34:51

Como conseguimos sobreviver?

Jorge Morais

Fiquei estarrecido com as informações que recebi por email em relação aos números investidos, aplicados, dados, emprestados ou, ainda, comprometedores dos governos Lula e Dilma em suas gestões. No documento, é pedido que se dê divulgação às muitas aberrações cometidas, e como tanto dinheiro - e bota dinheiro nisso - foi jogado fora pelos dois ex-presidentes. Com certeza, muita gente levou vantagem nessas negociatas e cheguei a duas conclusões: primeira, como conseguimos sobreviver a tudo isso e aos governos do Partido dos Trabalhadores e seus aliados? Segunda, como ainda estamos vivos para contar essa história?

Vejamos o que ocorreu em 10 anos com o país:

“40 bilhões de reais com os Jogos Olímpicos; 30 bilhões de reais  com a Copa do Mundo de Futebol; 121 bilhões de reais desviados da Petrobras; 12,6 bilhões de reais repassados a 7.700 ONGs, no governo Lula; 9 bilhões de reais em publicidade, em 4 anos do governo Dilma; 7 bilhões de reais em publicidade, governo Lula; 1 bilhão de reais ao MST e outros movimentos ligados ao PT, no governo Dilma; 152 milhões de reais repassados ao MST, só no governo Lula; 154 milhões de reais com cartão corporativo (gastos secretos), gestão Dilma; 65,9 milhões de reais repassados à UNE nos governos Lula e Dilma”.

E continua: “50 milhões de reais com cartão corporativo (gastos secretos), gestão Lula; 11 milhões de reais repassados por Dilma a blogueiros petistas às vésperas do impeachment; 6,5 bilhões de reais em obras na República Dominicana; 1 bilhão de reais/ano de mesada à ditadura cubana, sob o disfarce de “Mais Médicos”; 2,9 bilhões de dólares investidos a fundo perdido na construção da primeira fábrica de medicamentos contra Aids da África, em Moçambique; fazendas experimentais de arroz no Senegal e de algodão em Mali; projetos agropecuários de combate ao trabalho infantil e de capacitação de docentes para o ensino de português no Timor Leste; e a implantação de bancos de leite humano em 22 países da África”.

E mais: “1,5 bilhão de dólares de prejuízo naquela falsa tomada de assalto às refinarias da Petrobras na Bolívia”. Abre-se uma explicação: Na verdade foi um ato nojento e covarde de traição do governo petista ao povo brasileiro. Conforme posteriormente Lula confessou, ele e o índio cocaleiro, já haviam acertado toda a farsa, anteriormente: Evo faria o teatrinho de “ocupação“ das instalações da Petrobras e ele doaria tudo à Bolívia. E assim foi feito. Continuamos: “1,22 bilhão de dólares na construção de uma 2ª ponte de 3.156 m sobre o rio Orinoco, na Venezuela; 1,5 bilhão de dólares na construção de um trem subterrâneo na Argentina (o famoso soterramento do Ferrocarril Sarmiento, ligando Buenos Aires a Moreno)”.

E finaliza com mais números extremamente preocupantes: “1 bilhão de dólares para o metrô Cidade do Panamá; 900 milhões de dólares de perdão de dívidas a ditaduras africanas para com o Brasil; 792,3 milhões de dólares de prejuízo na compra da refinaria de Pasadena, no Texas; 732 milhões de dólares na construção do Metrô de Caracas, na Venezuela; 692 milhões de dólares para o porto de Mariel, em Cuba; 636,8 milhões de dólares na expansão de gasodutos da distribuidora Cammesa, na Argentina; 400 milhões de dólares em auxílio para compra de alimentos para Cuba; 200 milhões de dólares para compra de máquinas agrícolas para Cuba (bolsa agrícola cubana); e 6 milhões de dólares para melhorias no porto de Mariel, em Cuba”.

Pergunto: Por que ainda tem tanta gente fora da cadeia? É por isso que, praticamente, fomos reduzidos ao estado de miséria total, com 14 milhões de desempregados no país, muita gente com dinheiro no exterior e o país literalmente quebrado. Está explicado.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia