Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 932 / 2017

01/08/2017 - 18:27:25

Gabriel Mousinho

Gabriel Mousinho

Tragédia anunciada

Os recentes deslizamentos de barreiras e estouros de galerias nas encostas na periferia de Maceió não podem nem devem ser creditados à atual administração municipal. Durante anos e anos e de muitos inquilinos da prefeitura, os órgãos públicos fecharam os olhos para as invasões nos morros, aumentando consideravelmente o risco de catástrofes.

No fundo, parte da população, sem ter onde morar e que sabia dos riscos que estava correndo, e ainda pela indiferença do poder público, começou a invadir terrenos públicos, construindo casebres em locais que deveriam ser preservados pelo meio ambiente.

Ao construir pequenas casas e barracos nas áreas de risco, essa população sabia que mais cedo ou mais tarde iria pagar caro pelas invasões. E os desastres começaram a aparecer, alguns com mortes por soterramento.

A solução, com certeza com o apoio do governo federal, seria remover toda a comunidade que ali se instalou e colocá-la em outras áreas na mesma região, com moradias decentes onde viver com conforto e sem a sombra de não vislumbrar o dia seguinte. Consertar tubulações, fazer um jeitinho aqui e acolá, são medidas meramente paliativas, sem resultados práticos.

O problema não é só da Prefeitura de Maceió. Todos os segmentos têm que estar envolvidos na solução deste grave problema, especialmente a classe política e a sociedade como um todo. Antes que seja tarde demais.

Parada federal

Disputar um mandato de deputado federal no próximo será osso duro de roer. Além dos que tentarão a reeleição, a exemplo de Arthur Lira, Maurício Quintella, JHC, Pedro Vilela, Ronaldo Lessa, Paulão e Givaldo Carimbão, outros nomes movimentarão as eleições para a Câmara Federal. Arnon de Mello, filho do senador Fernando Collor, deve mesmo disputar o mandato, assim como Sérgio Toledo, Heloísa Helena e Rodrigo Cunha.

Dobradinha difícil

O senador Renan Calheiros vai ter dificuldade de fazer uma dobradinha para o Senado. Comenta-se nos bastidores que dificilmente Renan trabalharia o segundo voto, já que a força do governo do Estado seria voltada exclusivamente para ele. Quem for a reboque pode se arrepender pelo resto da vida.

Mais problemas

A cada dia que passa o senador Renan Calheiros é envolvido em atos ilícitos. Agora, o lobista Jorge Luz diz que Renan foi beneficiário de uma parte dos 11,5 milhões de reais de propina. Como fez das outras vezes, Renan nega, nega, nega. Parece que aprendeu a cartilha do ex-presidente Lula, que não sabe, não foi e que tudo é uma aberração.

Perigo à vista

Ao se aproximar do governador Renan Filho, o ministro Marx Beltrão poderá estar assinando sua sentença de morte política. Vai acreditar que terá o segundo voto fechado numa eventual candidatura ao Senado Federal e aí é onde a porca torce o rabo. Renan Filho vai trabalhar é pelo pai, não para um estranho no ninho.

Com vontade

O prefeito Rui Palmeira tem muita vontade de disputar o governo no próximo ano, mas vai depender muito de sua atuação na prefeitura no segundo semestre e começo de 2018. Rui, no momento, não aparece bem em algumas pesquisas encomendadas por seu grupo político. Mas não é para menos, depois dos temporais que se abateram sobre Maceió e o município, com falta de recursos, tem dificuldades de se recuperar rapidamente.

Definitivo

Nas reuniões que tem mantido com o grupo de oposição, o deputado Ronaldo Lessa tem manifestado a sua disposição de disputar a reeleição. Nada dessa história de fazer aventura, brigando pelo governo ou pelo Senado.

Reeleição

Outro que irá para a reeleição é o deputado Maurício Quintella. O ministro tem percorrido suas bases no interior e já conta com o apoio de pelo menos 23 municípios, número suficiente para continuar no Congresso Nacional.

Conceito

Tem um ministro que sua palavra não tem valido um tostão furado, dizem políticos que mantêm com ele algum relacionamento.

Perspectiva

O Hospital do Açúcar, com o reforço de novos dirigentes e recursos que serão investidos, deve mudar o panorama da saúde em Alagoas. Com uma estrutura de fazer inveja a outras instituições, o hospital tem tudo para se tornar uma das maiores referências em atendimento hospitalar no Nordeste.

Vendendo ilusão

Tem prefeito que está mudando de partido, mas que, no fundo, não tem muita mercadoria para dar em troca. Em apenas seis meses de mandato dificilmente se reelegeria, com algumas raríssimas exceções, como é o caso de Eduardo Tavares, de Traipu.

Alto lá

Renato Resende, prefeito do Pilar, e o ex-prefeito Carlos Alberto Canuto que navegam no PMDB, dificilmente subirão nos mesmos palanques nas próximas eleições. É casamento de jacaré com cobra d´água, dizem alguns correligionários.

Arrumação

Correm as informações de que fizeram um mutirão e uma arrumação de última hora para receber a reportagem do Fantástico no Hospital Geral do Estado. O comum, pacientes em colchões pelo chão, estava sem congestionamento no dia da visita. 

Mais dor de cabeça

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, deu o aval para o prosseguimento da ação penal por peculato contra o senador Renan Calheiros. É aquele caso onde o senador foi acusado de destinar parte da verba indenizatória para uma locadora de veículos que não teria prestado os devidos serviços. Na época do escândalo, Renan disse que a aceitação da denúncia por parte do STF, ainda que parcial, não antecipa juízo de condenação.

Empurrando

Talvez preocupados com a possibilidade de o deputado federal Ronaldo Lessa fazer parte do grupo que apoia Rui Palmeira em 2018, alguns simpatizantes do PMDB todos os dias empurram o parlamentar para os braços de Renan pai e Renan Filho. Mas até o momento Lessa ainda não decidiu qual o seu destino político no próximo ano.

Servindo de piada

A história de que o prefeito Rui Palmeira simpatizava com a ideia de tentar uma candidatura ao Senado é conversa pra boi dormir. “Querem tumultuar o processo eleitoral e deixar os eleitores em dúvida”, disse um assessor de Rui. Se Rui sair candidato será para o governo, o que tem trazido preocupações para os Calheiros.

Na mosca

Todas as pesquisas que aparecem por aí são bastante generosas com o governador Renan Filho e o pai. Todas. Não tem uma que os Calheiros não estejam na frente dos outros prováveis candidatos. Parece até que estão adivinhando a vontade do eleitor.

Força no governo

A presença do ministro da Saúde, Ricardo Barros, em Maceió, mostrou a força política do senador Benedito de Lira e do deputado Arthur Lira. O ministro veio para mostrar o trabalho que está sendo feito pelo ministério para Alagoas e os investimentos que estão programados para serem realizados nos próximos dias.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia