Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 929 / 2017

10/07/2017 - 17:34:05

Gabriel Mousinho

Gabriel Mousinho

Susto no Palácio

A divulgação na semana passada de uma pesquisa do Instituto Falpe deixou o Palácio dos Martírios com a pulga atrás da orelha. Os números não agradaram os avaliadores políticos e novas estratégias devem ser montadas para evitar mais apreensões no futuro. 

Mesmo sem se declarar candidato ao governo do Estado, embora tudo indique que isso vá acontecer, o prefeito Rui Palmeira alcançou o percentual de 22,55% em um eventual embate direto com o governador Renan Filho no Vale do Paraíba. Em plena campanha para a reeleição, Renan só obteve 33,25%, muito pouco pelo que tem realizado e investido na capital e no interior.

Os números assustaram alguns assessores do governo pelo fato de que, se Rui obteve um percentual significativo sem confirmar sua candidatura, esse panorama muda completamente de figura quando decidir assumir o desejo de enfrentar Renan Filho nas urnas no próximo ano. Essa alternativa tem deixado os mais próximos aos Renans em polvorosa, já que o desempenho esperado era muito maior do que o resultado da pesquisa feita pela Falpe.

Na pesquisa para o Senado nos municípios do Vale do Paraíba onde foi realizada, o resultado é mais cruel para o senador Renan Calheiros. Ali ele fica em terceiro lugar, atrás de Téo Vilela e Benedito de Lira, seguido por Heloísa Helena, João Caldas e Marx Beltrão, com 6,5%. 

Como se vê, a eleição não será fácil para alguns como se imaginava.

Os municípios

No Vale do Paraíba estão inseridos os municípios de Maribondo, Boca da Mata, Anadia, Pindoba, Tanque d´Arca, Viçosa, Atalaia, Cajueiro, Capela, Mar Vermelho, Chã Preta, Paulo Jacinto e Quebrangulo. Todos eles representam uma boa fatia do eleitorado alagoano.

Investindo              em Maceió

O governador Renan Filho parece que priorizou mesmo a capital. Agora fez um oba-oba no Palácio sobre ações em parceria com a ONU, mas parece que os valores que serão investidos em mais de setenta comunidades não darão para resolver os problemas da população da periferia. Preocupado com o eleitorado em Maceió, a estratégia de Renan é desacreditar Rui Palmeira e avançar nos votos localizados nas encostas da capital.

Apreensão

A momentânea disposição do deputado Ronaldo Lessa de permanecer no grupo político do prefeito Rui Palmeira tem desagradado os inquilinos do Palácio dos Martírios. A aquisição de um reforço como Lessa para a campanha de 2018 era tido como fundamental para o sucesso do projeto dos Renans para as próximas eleições. A tendência de Ronaldo, mesmo embora venha sofrendo pressão da família, é ficar mesmo onde está.

Obstáculo

Com o PDT tendo um pré-candidato a presidente, no caso Ciro Gomes, fica difícil uma coligação entre o partido e o PMDB, o que dificulta e muito a possibilidade de uma aliança entre Ronaldo Lessa e os Renans.

Acabou

O clima de harmonia entre os vereadores de Maceió está em fim de carreira, embora a Mesa Diretora deixe transparecer que está tudo sob controle. A insatisfação é grande e alguns vereadores, a exemplo de Chico Filho, dão demonstração de que o velho e cordial diálogo está perto do fim.

Saindo do vermelho

O município de Traipu está respirando aliviado depois que ações administrativas tiraram seu nome da lista negra do Cadastro Único de Convênio fiscalizado pela Secretaria do Tesouro Nacional. Para o prefeito Eduardo Tavares, “isso é resultado de um trabalho conjunto, focado no respeito ao dinheiro público, na eficiência e na competência”.

Estratégia

Nos bastidores, se comenta de que o Palácio República dos Palmares estaria interessado em desestabilizar politicamente a provável reeleição de Kelmann Vieira, já que ele passou de mala e cuia para o grupo do prefeito Rui Palmeira, contrariando até mesmo seu sogro, o suplente de deputado Cícero Cavalcante. A partir de agora as votações de projetos na Câmara deverão ser polêmicas. Afinal de contas, a campanha já começou.

Bom ibope

Quem compareceu na entrevista de Ronaldo Lessa no Conversa de Botequim, na semana passada, garante que tinha mais gente presente do que na do governador Renan Filho. Lessa provou que continua ganhando a simpatia dos seus amigos.

Mistério no ar

O jornalista Plínio Lins perguntou ao deputado Ronaldo Lessa se a eleição que ele perdeu para Fernando Collor foi descuido dele. Lessa disse que hoje tem outra avaliação sobre o tema, ou seja, aconteceram muitas coisas por baixo dos panos.

Alianças

Mesmo com a insistência dos Calheiros para o deputado federal Ronaldo Lessa voltar ao governo, não será uma decisão fácil. O PDT tem um pré-candidato à presidente da República que possivelmente não irá coligar com o PMDB em nível nacional, dificultando também uma aliança por aqui.

Haja grana

Atrás de empréstimos públicos, Renan Filho e Rui Palmeira apostam quem sairá na frente para colocar em prática a realização de obras prometidas durante a campanha. Do lado governo se espera um empréstimo com o Banco do Brasil na ordem de 620 milhões de reais, enquanto na prefeitura os recursos também passam nessa ordem através de organismos internacionais.

Costurada

Uma chapa majoritária com Rui Palmeira, Benedito de Lira e Ronaldo Lessa está deixando muita gente sem dormir de uns tempos para cá. Seria uma chapa peso-pesado, como dizem os observadores políticos. A possibilidade de Ronaldo Lessa topar uma eleição majoritária é mínima, mas não está descartada, dizem amigos do deputado.

Correndo por fora

O deputado Marx Beltrão que anunciou ser um dos candidatos ao Senado, mas dificilmente pelo PMDB, precisa correr contra o tempo para montar uma estrutura capaz de poder disputar de igual para igual com os outros candidatos. No momento ele conta com parte da região sul do estado, incluindo Coruripe, Penedo, Piaçabuçu, Feliz Deserto e Jequiá da Praia, seus redutos garantidos. Mas nas outras regiões a dificuldade é visível de acordo com algumas pesquisas realizadas.

Sem liderar

O senador Renan Calheiros deixou a liderança do PMDB no Senado, mas já fazia muito tempo que ele não liderava nada. A maioria dos peemedebistas não via Renan como líder. 

Mergulhado

Depois de algumas denúncias em que foi alvo, o ex-governador Téo Vilela optou por sair um pouco da mídia e das redes sociais. Ele quer logo uma solução para os problemas, para que possa pensar numa candidatura ao Senado. 

Saiu do circuito

Depois que deixou a liderança do PMDB do Senado Renan Calheiros praticamente sumiu do noticiário nacional. O senador está preocupado em recuperar as bases no interior de Alagoas, já que está vendo sua reeleição ameaçada.

Dose dupla

Para observadores políticos, votar em pai e filho numa eleição majoritária, é complicado demais. É o caso do senador Renan Calheiros com o seu filho governador. Vai dar muito trabalho convencer o eleitorado.

Sem medo

O ministro Maurício Quintella tem tomado decisões rápidas e sem medo de assumi-las. Foi o caso da visita que fez ao presidente Michel Temer no início da semana em companhia do presidente do PR, Waldemar da Costa Neto. Quintella tem se notabilizado pelo trabalho realizado à frente do ministério e pela confiança que tem passado para os seus eleitores.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia