Acompanhe nas redes sociais:

12 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 927 / 2017

26/06/2017 - 18:00:28

Rosinha presta contas do que fez pela Adefal

Deputada federal lembra sua luta de 30 anos pelos direitos dos deficientes físicos

Por Mônica Cavalcante
Deputada Rosinha destaca o apoio do governador Renan Filho e do presidente Temer em prol da Adefal

Aprovação da Lei Brasileira de Inclusão, aposentadoria especial, Benefício de Prestação Continuada, são algumas conquistas de Rosinha da Adefal. A deputada reforça que nunca deixará de trabalhar em prol das pessoas com deficiência e da Adefal, para a qual já destinou mais de R$ 3 milhões de reais. 

Uma história que se mistura com a da Associação dos Deficientes Físicos de Alagoas – Adefal, a deputada Rosinha afirma que sua vida não seria a mesma, caso não tivesse conhecido a instituição. Como associada há mais de 30 anos, chegou na Adefal adolescente e logo percebeu que mesmo tendo deficiência era uma pessoa com direitos. Aprendeu com seu amigo Gerônimo o quanto era capaz de superar obstáculos, além da consciência de lutar pelos direitos, contra o preconceito e a discriminação.

Como atleta Rosinha levou o nome da associação do Oiapoque ao Chuí do Brasil. A defesa de Rosinha da Adefal pelas pessoas com deficiência não é recente e também não para até hoje. Como diretora de esporte e convencida de que o mesmo é uma importante forma de inclusão e reabilitação, os associados praticavam basquete em cadeira de rodas, halterofilismo, tênis de mesa, natação e atletismo. Atualmente, a associação oferece apenas a natação, graças à dedicação do técnico Diego Calado e o atletismo, que resiste a todas as dificuldades, graças à garra de seus atletas, a exemplo de Sônia Gouveia.

Na presidência da associação, Rosinha organizou a casa e ampliou o número de atendimentos com a inauguração do anexo II, que trouxe acolhimento às crianças com deficiência intelectual. Preocupou-se também com a questão estrutural do prédio e, por isso, realizou várias reformas e construiu espaços verdes. Além de primar pelo bem estar dos funcionários, que, em sua gestão, tinham os salários em dia. Foi naquela época, durante o mandato de Rosinha, que o projeto Calçada Legal, idealizado pelo seu antecessor, Gerônimo Ciqueira, foi posto em prática. No mesmo período, Rosinha se tornava coordenadora da Organização Nacional de Deficientes Físicos, a Onedef, dando continuidade ao trabalho de luta nacional pela pessoa com deficiência, iniciada por Gerônimo.

Logo após Rosinha foi eleita vereadora e continuou a defender a causa da pessoa com deficiência. Uma delas, foi a realização de audiência pública na sede da Adefal, em que associados, juntos às autoridades, discutiam benefícios para a Instituição. Uma dessas conquistas foi o ponto de ônibus acessível. “Entrei na vida política para lutar pela minha classe, levamos a Câmara Municipal para dentro da Adefal, esse legado deixado por Gerônimo, é a minha maior motivação para a vida parlamentar.”, afirmou.

Como deputada federal, Rosinha já destinou mais de R$ 12 milhões para as instituições que atendem as pessoas com deficiência. Para a Adefal foi destinado o maior número de doações, cerca de R$ 3,4 milhões, que deveriam ser utilizados em reformas, ampliações e aquisição de equipamentos. Porém, infelizmente, a associação deixou de apresentar os projetos, o que ocasionou a perda desses recursos que poderiam ser aplicados em muitos benefícios para o público atendido pela Instituição. 

“Imaginem só o quanto esses mais de R$ 3 milhões poderiam ter ajudado no desenvolvimento da Adefal! Isso me entristece muito, além disso ainda vem essas acusações infundadas que estão circulando envolvendo o meu nome. Independentemente de quem esteja na presidência, o respeito pela classe deve ser preservado e é isso que eu sempre fiz. Sobre as eleições, o importante é que aquele que vença priorize a defesa dos direitos e lute por dias melhores.”, disse a Deputada Rosinha.

Ainda sobre a atuação como deputada federal, Rosinha foi contra a reforma trabalhista e previdenciária, e conseguiu a mudança no texto do Benefício de Proteção Continuada - BPC. Após ser recebido por uma comissão de pessoas com deficiência, liderada por Rosinha, o presidente da República Michel Temer se convenceu da mudança no texto inicial da reforma previdenciária. “ Minha luta é contínua e em toda e qualquer instância - das instituições em Maceió, ao congresso em Brasília - estarei sempre resistindo pelas pessoas com deficiência. O texto inicial da reforma desvinculava o reajuste no BPC do salário mínimo, conseguimos que esse reajuste fosse mantido e o benefício terá seus reajustes”, finalizou.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia