Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 923 / 2017

29/05/2017 - 10:05:36

Começar de novo

Alari Romariz Torres

É impressionante ver como as coisas acontecem neste mundo de meu Deus! Pessoas acostumadas com poder e dinheiro, de repente veem sua vida virar de cabeça para baixo.

Um bom exemplo de tudo isto é o famoso ex-presidente Lula. Menino pobre do interior de Pernambuco, vai para São Paulo e se torna operário. Envolve-se com sindicalismo e depois de muitas lutas, torna-se presidente do Brasil.

Fez um bom primeiro governo, foi reeleito com facilidade e mordido pela mosca azul do poder. Uniu-se a pessoas sabidas demais e foi se perdendo pelo caminho. Com excesso de verbas de campanha elegeu sua sucessora. Aí começou sua derrocada.

O que vemos hoje? Um Lula desgastado pela bebida, cheio de processos, lutando para não ser preso e condenado.

Dilma, mulher chata e vaidosa, não soube lidar com os parceiros políticos, foi afastada e levou Lula e parte da turma com ela.

Quem viu a Dilma guerrilheira numa fotografia na internet, não diz que é a ex-presidente da República!

O Nakamura, cabelereiro de São Paulo, vinha de avião a Brasília cuidar da aparência dela. Li uma entrevista do moço: “A fisionomia é muito dura; vou clarear os cabelos para suavizar o efeito final”. E conseguiu! Para tanto, a loira pagava três mil reais por cada visita. E nós pagávamos!

Afastada do poder, a ex-presidente voltou para Porto Alegre, num bom apartamento. Será que vai mandar buscar o Nakamura? Acho que a fisionomia vai voltar aos tempos em que combatia a ditadura.

O governo do PT trouxe ao poder vários guerrilheiros que contavam o sofrimento por que passaram. Parece que o desejo de vingança foi tão forte que os levou a cometer erros gravíssimos.

O Zé Dirceu viveu escondido durante muito tempo. No interior do Paraná casou-se com uma mulher que não sabia quem ele era. Chegou a ser o homem mais importante ligado ao Lula. Contrariou os poderosos e foi cassado, preso. Hoje, sofre amarguras piores do que as da época do exílio. É um homem marcado, afastado da família, réu em vários processos. Não pode sair para passear com a filha!

Em Alagoas, houve uma certa reviravolta. Homens de esquerda são de direita e vice-versa. Lembro-me de Renan Calheiros, presidente da UNE, lutando pelos direitos dos estudantes e trabalhadores. Foi subindo, aliou-se a Collor, a Sarney, FHC e a Lula, chegando à presidência do Senado por duas vezes. Invejado por muitos, ensaia uma nova ida para a oposição. Critica o governo, mas não se afasta de vez. O PMDB tenta alijá-lo. Não pode ser mais presidente da UNE. Será que caminha para o PSOL ou PSTU a fim de combater o Temer e Cia?                

Gente, o Sérgio Cabral é outro político que jogou tudo fora. Quando quer reaparecer para respirar, vem outro processo e o coitado submerge. Lembro-me que a mulher dele fez voltar um helicóptero ao Rio, cujo destino era Mangaratiba, porque esqueceu um pacote de fraldas do filho. Hoje, o cara está em Bangu e o povo pagando sua permanência!

Mas ainda existem políticos que se acham inatingíveis e continuam praticando atrocidades. Não acreditam no sofrimento de Lula e seus companheiros de luta. São indiciados, processados, recebem a visita da Polícia Federal, mas insistem no erro. 

O Brasil chegou a um ponto tão absurdo, que se faz a seguinte pergunta: se o Temer for cassado, quem poderá substituí-lo? Até o nome de Luciano Hulk foi citado! É o fim do precipício!

Homens e mulheres que lutaram por dias melhores viraram governo e cometeram erros gravíssimos, levando o país à crise mais tremenda dos últimos tempos. Estão voltando às suas origens ou indo para a cadeia.

Fomos vítimas de tramas perigosas e complicadas, onde políticos e empresários se uniram e usaram o dinheiro público como se deles fosse.

E vão ter que começar tudo de novo!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia