Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 922 / 2017

22/05/2017 - 16:43:23

Gabriel Mousinho

Desconforto do governo

Gabriel Mousinho

A indecisão do deputado Cícero Almeida de assumir ou não a Secretaria de Esportes tem constrangido o governo, que expõe sua auxiliar Cláudia Petuba e deixa intranquila toda sua equipe para trabalhar.

Independente como tem mostrado nos últimos anos, mesmo que venha a desagradar até aliados do pai, Renan Filho pode encher o saco e dar um basta nessa história toda. Se for esperar que Cícero Almeida se livre do processo da Máfia do Lixo, da cassação do mandato pelo PRTB e do empréstimo na Operação Taturana, termina o governo e não se resolve nada.

O desconforto do governo é grande e tem migrado para toda equipe de Renan Filho, que assiste de camarote às idas e vindas de Cícero Almeida que não tem nenhuma intimidade com a vida parlamentar em Brasília.

Se for para Almeida assumir a pasta, que o faça rápido e não permita que outras pessoas, a exemplo de Cláudia Petuba, passem por situações incômodas. Como independente que é, como tem demonstrado, o governador Renan Filho, se quiser uma equipe voluntariosa, disposta e entusiasmada para dar sequência ao trabalho iniciado, tem que definir logo se Cícero Almeida fará parte ou não do seu governo. Se não quiser, que fique cozinhando para não perder seu apoio, se é mesmo fundamental para sua reeleição nas eleições do próximo ano.

Golpe nos portuários

Parece que os ministros Maurício Quintella e Marx Beltrão não foram bem informados sobre o projeto Qualifica Porto. Na visão de muitos trabalhadores esse é o primeiro passo para o desemprego na área portuária.

2-Centenas de trabalhadores portuários há dezenas de anos que não têm nenhuma intimidade com as bancas escolares e terão visíveis dificuldades de aprenderem outras profissões, muito complexas.

3- Os cursos que serão ofertados, a exemplo de eletrotécnica, soldagem, usinagem, análises químicas, mecânica, mecânica de precisão e outros, não têm nada a ver com a atividade portuária, só o que eles sabem fazer ao longo dos anos. Por que não investir em guindastes modernos, já que os atuais estão sucateados, balanças informatizadas e outros aspectos pontuais e deixar os trabalhadores ganhando o pão de cada dia?

4- Com centenas de trabalhadores avulsos beirando os 50 anos de idade, qual a perspectiva de qualificação de um trabalhador que levará anos para concluir um curso, além de outros períodos para estagiarem nessas áreas? Qual a garantia de que a empresa Ferrostaal absorverá esses trabalhadores, já que iniciou suas atividades com mais de 2 mil e 100 trabalhadores, vindos até de outros estados, e hoje aproveita somente cerca de 100?

5 - Em jogo está sobrevivência de centenas de pais de famílias que fizeram de suas casas o Porto de Maceió. Fora dele é como se o peixe estivesse fora da água. Os responsáveis por essa mudança radical são responsáveis pelo futuro dessa gente trabalhadora e agora sem muitas perspectivas na vida. 

Investimentos               no Porto

O fator positivo da reunião foi o anúncio de investimentos, como aprofundamento do calado para atrair navios de mais de 35 mil toneladas e a construção de um terminal de passageiros. No mais, as previsões com longos prazos acabam caindo no esquecimento.

Campanha oficial

O vídeo institucional divulgado pela Administração do Porto de Maceió mostra futuros investimentos do governo federal na área, mas mistura um pouco de política. Nele são focados e citados e mostrados os ministros Maurício Quintella e Marx Beltrão como os autores dos benefícios para o Porto de Maceió.

Venda de sentenças

O Conselho Nacional de Justiça demitiu sumariamente o servidor Flávio Baltar Maia, o Bozó, que era lotado no gabinete do desembargador Washington Luiz, afastado por graves acusações, mas não deixou pistas sobre supostas vendas de sentenças por outros integrantes da magistratura que estão sendo ou deveriam estar sendo investigados. Conhecido advogado alagoano, que momentaneamente sumiu das colunas sociais, chegou a ser preso, mas não se sabe se as investigações prosseguiram e quais os seus resultados. Se um advogado foi preso com essa suspeita, com certeza servidores da Justiça também estariam envolvidos em falcatruas. O Tribunal de Justiça deveria prestar informações de como andam esses processos para que a suspeita não se generalize numa categoria de agentes probos que tem por dever promover Justiça. 

Reincidência

de Celso

O ex-prefeito de Canapi, Celso Luiz que já se meteu em outras embrulhadas, vai ter muita dificuldade de explicar que na sua gestão não ocorreram fraudes em licitações, aquisição ilegal de fraldas descartáveis compradas com verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e transferências de recursos do município para contas particulares. Preso mais uma vez pela Polícia Federal sob a acusação de desviar agora cerca de 17 milhões de reais dos cofres públicos, vai ter dificuldades de sair da cadeia.

Constrangimento

Foi realmente constrangedor a divulgação da foto de Celso Luiz nas redes sociais com a cabeça raspada e com uniforme de presidiário. 

Mandachuva

Um dos indiciados pela Polícia Federal, entre os oito, por crimes de associação criminosa, corrupção, lavagem de dinheiro, peculato e inserção de dados falsos em sistema de informática, José Ediberto de Omena é hoje o mandachuva do Hospital Geral do Estado. É ele ”quem casa e batiza ali”, disse um colaborador que pediu para não ser identificado temendo represálias. Mesmo indiciado ele e os outros continuam mantidos no governo de Renan Filho.

Pancada no lombo

Os lombos dos ex-governadores Ronaldo Lessa e Téo Vilela devem ter ardido muito no início desta semana. Ao inaugurar pequenas obras no município de São Luiz do Quitunde, o governador Renan Filho fez uma festa e disse que ele será lembrado pelo que fez e pode ter causado até ciúmes a outros governos que nunca fizeram nada pela região norte do estado.

Seguidor fiel

Embora esquecido durante os últimos três anos pela família Calheiros, o suplente de deputado Cícero Cavalcante marcou presença em São Luiz do Quitunde, aplaudiu o governador e o senador e distribuiu sorrisos com a população presente. Cavalcante parece ter esquecido o tratamento que recebeu, embora se mantenha fiel às origens.

Pé de guerra

O tratamento nada republicano dado pelo governo do Estado aos fiscais de renda está induzindo a categoria em ficar em pé de guerra. 

Índice acumulado

Os servidores do Detran que suspenderam a greve até uma proposta do governo, querem um reajuste de 19,02%, segundo eles um valor acumulado na gestão de Renan Filho. Eles alegam que a arrecadação subiu 37% nos últimos meses, mas não garantem que o percentual pedido seja atendido.

Nem milagre

Nem pedindo aos céus o pastor João Luiz se livrou da mão pesada do ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Tribunal Superior Eleitoral. Ele foi afastado do mandato por ter usado supostamente a estrutura da igreja Quadrangular para fazer campanha eleitoral. 

Devastadora

A notícia de que o presidente Michel Temer colaborou para que Eduardo Cunha se mantivesse calado na prisão em Curitiba e o envolvimento de Aécio Neves ao pedir 2 milhões de reais de propina, caiu como uma bomba. 

Ninguém sabe mais o que vai acontecer neste país.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia