Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 917 / 2017

17/04/2017 - 10:17:48

O foco da questão

Alari Romariz Torres

Desde que comecei a escrever em jornais, fiz grandes amizades com profissionais da área; foram me ensinando algumas “dicas” para escrever um bom artigo.

Tive um grande amigo chamado Nilton de Oliveira, dono de jornal, entendido em política; dizia-me o velho colega: “Não escreva mais de 25 linhas e procure fechar seu texto com firmeza e um pouco de ironia”.

E lá vou eu, ouvindo amigos e inimigos, recebendo ameaças, escutando recados e aprendendo, pois não sou boba.

Um fato interessante na mídia é ser o foco da questão, Talvez muitas pessoas não entendam isso: é o assunto do momento.

Em política, na atual conjuntura, é a Lava Jato. O Brasil inteiro fala no Moro: quando ele vai prender o Lula? E o Renan? Chegará o juiz paranaense ao fim da dita operação? Impossível saber quem vai detê-lo.

Quem tirará a Lava Jato do centro de todas as notícias do país? O Supremo Tribunal Federal diz que respeita o Moro, não quer atrapalhar o seu trabalho. O Congresso Nacional ensaia aprovar medidas sobre abuso de autoridade, tentando afastar juízes, Polícia Federal e Ministério Público das ações que passam o Brasil a limpo, mas o povo grita e os projetos não saem.

Em Alagoas, as novidades se sucedem. A mais recente é um relatório final de uma auditoria da Fundação Getúlio Vargas, que terminou há um ano, revirando a vida funcional de centenas de pessoas, colocando o Legislativo de cabeça para baixo. Para nós, ativos e inativos da Casa, nada é surpresa, Sofremos tanto, de dois em dois anos, que ficamos vacinados contra escândalos.

Uma aposentada me perguntou: “Alari, já me aposentei há cinco anos. Ainda vão mexer comigo?” Nervosa, chorando, aguardava minha resposta: “Tenha calma, vou ler o relatório, esperar a decisão da Procuradoria da Casa.”

Nada mais pude adiantar.

Na realidade, vou ficar bem pertinho do Rio São Francisco, abrir o computador, tentar entender o relatório e aguardar que nossos procuradores analisem o tal documento. Espero que valha a pena.

Procurando mudar o foco da questão, vamos rir bastante com o Renan pai, na oposição, se aproximando de Lula. Ele bem poderia trazer a Alagoas o ex-presidente, a Dilma, o Delcídio, o Cunha; juntos fariam um grande comício. Seria um verdadeiro sucesso! O povo não saberia em quem acreditar.

Outro fato interessante: o Lula pode ser candidato à Presidência da República. É só ficar solto até 2018. Não brinquem com o moço; ele é inteligente.  Mexe com a opinião pública, finge ser vítima, convoca o povo para uma suposta prisão. Para completar, sua mulher morreu no meio de um grande furacão político.  

Estou vendo o povo brasileiro procurar um líder que substitua o Lula. Quem será? Aécio, Serra, João Dória? Não teríamos a sorte de eleger Heloísa Helena para presidente do Brasil, pois a Marina, pretensa candidata, ficou engasgada em suas entrevistas na saída da Dilma.

Aí amigos, tentei demonstrar a vocês como se muda o “foco da questão”. Esquecemos os escândalos da Assembleia Legislativa de Alagoas. Passamos a comentar sobre a política nacional. Voltamos para Alagoas e nem sentimos a mudança.

É assim que bons jornalistas fazem quando sobrepõem um assunto a outro, com muita competência. O oposto seria não responder a escândalos, deixar que caiam no esquecimento do público, evitar a sensação de quanto mais mexe, mais fede.

Aprendi bastante com meus amigos da imprensa! E a meus colegas do Legislativo alagoano digo: Tenham calma, o tempo é o senhor da razão!

Feliz Páscoa!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia