Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 916 / 2017

12/04/2017 - 09:53:47

Meio Ambiente

Bruno Fernandes

Notificação 

A prefeitura de Maceió e a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) foram notificadas, na terça-feira, 4, pelo Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) para apresentarem relatórios técnicos com as ações que foram realizadas para tentar solucionar o problema de esgoto clandestino nas praias de Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas. A medida foi tomada após o IMA receber denúncias de moradores e comerciantes dos locais citados sobre o esgoto nas praias. O prazo para a resposta é de 45 dias.

Balneabilidade 

Um documento produzido pelo laboratório do IMA divulgado nesta segunda, 4, apresentou os melhores locais e aqueles que devem ser evitados para banho. O relatório de balneabilidade com as condições de banho entre praias e rios de Alagoas mostra que Pontal do Coruripe, Duas Barras, Gunga, Barra de São Miguel, Francês e todas que vão de Marechal Deodoro à divisa de Alagoas, em Piaçabuçu e Praia da Avenida estão impróprias já de Paripueira a Maragogi, todos os trechos monitorados estão próprios para banho.

Parque Municipal 

 O titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Semds), Gustavo Acioli Torres, apresentou na segunda-feira, 3, uma proposta para um Plano de Manejo do Parque Municipal de Maceió. O documento visa estabelecer o zoneamento do Parque, assim como concentrar as normas e restrições referentes às visitas, ao uso da área e ao manejo dos recursos naturais. Conforme a legislação vigente, o documento deve ser elaborado a partir de estudos que incluem diagnósticos dos meios físico, biológico e social. O plano também deve incluir medidas para promover a integração do local à vida econômica e social das comunidades do entorno do Parque, situado no bairro de Bebedouro.

Convenção do Clima

O Brasil definiu medidas com as Nações Unidas para avançar no combate ao aquecimento global. O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e a secretária-executiva da Convenção da ONU sobre Mudança do Clima (UNFCCC), Patrícia Espinosa, discutiram na terça-feira, 4, em Brasília, ações para dar continuidade à redução de emissões em território nacional. Inclusão social e promoção do desenvolvimento sustentável estão entre as prioridades. Os 23 milhões de brasileiros que moram na região amazônica serão centrais nas políticas previstas pelo governo federal.

Pré-sal 

O governo aumentou em cerca de R$ 4 bilhões as suas expectativas de arrecadação com os leilões de áreas de petróleo e gás deste ano, depois de incluir a terceira rodada de partilha do pré-sal no calendário de licitações do ano. Na segunda-feira, 3, o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa, disse que o governo espera, numa “projeção conservadora”, arrecadar R$ 8,5 bilhões com as quatro concorrências marcadas para 2017. A primeira previsão, divulgada pelo MME ainda em janeiro, era arrecadar R$ 4,5 bilhões, sem contar a rodada do pré-sal de novembro, até então fora dos planos.

Desmatamento

De acordo com um estudo publicado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences, o desflorestamento foi reduzido em 75% em regiões que passaram a ser formalmente controladas por índios no Peru. Por meio de análises de imagens por satélite, pesquisadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) compararam a cobertura florestal antes e dois anos após uma região ser cedida oficialmente a comunidades indígenas. Dessa forma, foi possível realizar medições diretas dos benefícios para a preservação da floresta. 

Sertão com chuvas

Os sertanejos têm muito o que comemorar. Nos últimos dias voltou a chover no Sertão. As cidades de Inhapi, Delmiro Gouveia, Jaramataia e outras registraram pancadas de chuvas durante todo o fim de semana. Porém, a previsão do tempo é de que nas próximas semanas as chuvas devem chegar com volumes bem inferiores do que foram registrados nos últimos dias, segundo a meteorologia.

Dano ambiental

O Ministério Público Estadual (MP-AL) abriu inquérito civil que pede à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet) a constatação de dano ambiental causado por uma empresa de recuperação de pneus em Maceió. Segundo publicado no Diário Oficial do Estado na quarta-feira, 5, a Promotoria de Justiça da Capital quer a investigação da possível emissão de fumaça tóxica produzida pela Tyresoles de Alagoas Ltda, localizada no Tabuleiro dos Martins, em Maceió. 


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia