Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 913 / 2017

20/03/2017 - 18:36:58

Economia em Pauta

Sofia Sepreny da Costa

Diminuição da  Cesta Básica

A desoneração da cadeia da carne no estado de Alagoas é um dos fatores que contribuíram para a queda do valor da cesta básica na capital.  O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), afirma que a carne teve queda de 9,29% em seu valor, quando comparado com o do mês passado. De acordo com o órgão, entre os produtos da cesta é a maior queda nominal. No setor alimentício, gados bufalinos, caprinos, ovinos e suínos abatidos no Estado estão isentos de imposto desde outubro.

Os frangos abatidos em Alagoas estão isentos de ICMS há quase dois anos. O decreto 43.712, instituído em setembro de 2015, é responsável pela atração de estabelecimentos de corte para o Estado, a exemplo do matadouro Frango Favorito, em Santa Luzia do Norte.

Aumento das taxas de cartões de crédito 

Quatro dos cinco principais bancos brasileiros – Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander – já anunciaram as novas regras para uso do rotativo do cartão de crédito. As agências correm para comunicar as mudanças e tirar dúvidas dos clientes antes das novas regras entrarem em vigor, no dia 5. O pagamento mínimo da fatura a depender do banco, ficará mais alto. Segundo as instituições financeiras, as novas regras visam a redução de juros pagos pelos clientes, apostando no maior controle de gastos e diminuição da inadimplência. Porém, os órgãos de defesa do consumidor cobram mais clareza sobre os novos padrões de cobrança e apontam os pontos falhos da nova mudança junto ao Banco Central.

Voltando dinheiro das  contas de energia

O reajuste tarifário indevido nas contas de energia do ano de 2016, será devolvido aos clientes. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai devolver valores cobrados a mais dos consumidores, em um processo que será julgado no dia 28 de março.  O reajuste foi feito de forma indevida, para o pagamento da usina de Angra 3 - ao todo, foi recolhido de maneira indevida R$ 1,8 bilhão a mais de todos os clientes pelo País, através de uma previsão errada. Por meio de recursos do Encargo de Energia e Reserva, cobrados na conta de luz, a Angra 3 seria remunerada ao entrar em operação, o que aconteceria por contrato em 2016. Porém a ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) órgão responsável pela coordenação e controle da operação da geração e transmissão de energia elétrica, não conta com a usina até 2021. A devolução vai contribuir com um impacto médio de queda de 1,2 ponto porcentual nas tarifas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia