Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 912 / 2017

15/03/2017 - 10:21:56

Meio Ambiente

Bruno Fernandes

Crise hídrica em                            União dos Palmares

O Governo do Estado anunciou, nesta semana, o investimento de R$ 270 mil do tesouro estadual para a construção de uma barragem de nível definitiva em União dos Palmares. A ação será comandada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra). De acordo com o Decreto nº 16/2017, publicado pela prefeitura de União dos Palmares, o município também tem sido atingido pela crise hídrica que aflige todo o Brasil. Segundo o documento, a cidade enfrenta a redução do volume de chuvas e a escassez de suas reservas hídricas, situação que tem comprometido a produção agrícola e animal, bem como o abastecimento de água potável na região. Para sanar o problema, o Governo de Alagoas irá investir R$ 270 mil na construção da primeira barragem de nível definitiva do município.

 Água bombeada pela prefeitura    polui Riacho Gulandim

Equipes do Instituto do Meio Ambiente (IMA) realizaram estudos e diagnósticos para embasar o trabalho da Força Tarefa, coordenada pelo Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), na bacia hidrográfica do Riacho do Reginaldo. O resultado das amostras coletadas em quatro galerias da Pajuçara, onde a prefeitura bombeia as águas para o Riacho Gulandim, indicam que há alto índice de contaminação. “Observamos problemas como o lançamento de esgotos e lixo, além das construções irregulares”, comentou Larissa Almeida, consultora ambiental do IMA. Os técnicos ainda verificam as condições dos remanescentes vegetais existentes.

Febre amarela põe                     macacos em risco

O surto de febre amarela tem provocado uma grave ameaça a primatas da Mata Atlântica, inclusive a espécies ameaçadas de extinção. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) emitiu, nesta semana, um alerta à sociedade para reforçar a proteção dessas espécies e evitar maus-tratos e violência provocados pela ação do homem em áreas onde há casos da doença.  A intenção do governo federal é esclarecer à sociedade sobre os vetores de transmissão da doença e evitar que a desinformação cause violência e a matança dos animais, a exemplo do que ocorreu em 2008 e 2009, quando macacos foram agredidos e mortos em Goiás e no Rio Grande do Sul por moradores que consideravam, equivocadamente, que os animais transmitiam a doença.

Dieta nada           sustentável

Comer demais afeta mais do que o seu peso. Pode prejudicar a alimentação da população mundial e o meio ambiente. De acordo com um estudo da Universidade de Edimburgo, quase 20% dos alimentos produzidos são desperdiçados pelos consumidores. A população mundial consome cerca de 10 % mais alimentos do que precisa, enquanto quase 9% é jogado fora ou deixado para estragar.

Ministro lança sistema           para gestão florestal

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, anunciou nesta terça-feira, 7, medida para garantir a conservação e dar mais transparência e segurança ao setor florestal no país. Foi lançado, em Brasília, o Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor). A plataforma controlará todo o processo da origem da madeira, do carvão e de outros produtos e subprodutos florestais, além de rastrear desde autorização de exploração até o transporte, armazenamento, industrialização e exportação.

 Elefante “mais velho da África”    é morto por flecha envenenada

Um elefante, considerado um dos maiores e mais velhos da África, foi morto por caçadores no Quênia, na segunda-feira, 6. De acordo com o Tsavo Trustsaid, grupo de conservação que cuida do grupo de elefantes gigantes, animais conhecidos como “Tuskers”, o paquiderme foi morto com uma flecha envenenada. “Felizmente, graças ao trabalho que fazemos com o Serviço de Vida Selvagem do Quênia (KWS), conseguimos encontrar o corpo do elefante antes que os caçadores pegassem o marfim”, disse Richard Moller, representante do grupo Tsavo ao site Metro. Segundo Richard, hoje só existem 25 desses grandes elefantes no mundo, cerca de 15 deles vivem no Quênia. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia